Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Jorge Jesus: "Quando cheguei a Portugal vinha com uma ideia de falar sem segredos, mas em Portugal não se pode falar"

Na conferência de imprensa após a vitória (0-4) contra o Estrela da Amadora, o treinador do Benfica deu os parabéns ao clube da sua terra, elogiou a organização do adversário e, depois, criticou os jornalistas quando o questionaram sobre um alegado "puxão de orelhas" a Pedrinho durante o jogo: "essa conversa dos puxões de orelhas está muito em voga no futebol português, deixem-se desses chavões, isso não existe (...) achava que fosse mudando consoante as pessoas que escrevem, mas pelos vistos não"

Tribuna Expresso

Carlos Rodrigues/Lusa

Partilhar

O jogo

"Regressei à minha casa, foi aqui que dei os meus primeiros passos enquanto jogador. A Taça de Portugal tem muitas surpresas e o Benfica fez tudo para que não houvesse. Depois de marcar primeiro as coisas ficaram mais fáceis com os golos, o objetivo era a vitória e ver alguns jogadores que não têm jogado tanto. Foi uma noite especial para mim e o facto de passarmos esta eliminatória é mais um passo que damos em frente, porque um dos objetivos é esta Taça de Portugal."

O estado do campo

"O que o jogo dita é onde ganhas ou perdes vantagens, não no termos jogado dois ou três dias antes, ou em jogadores que não jogaram. Não vejo vantagem nenhuma em relação a isso."

A estreia de Todibo

"O Todibo chegou num momento também complicado, há muito tempo que não competia e o Benfica praticamente recuperou-o, vinha com uma lesão complicada. Começou a trabalhar connosco há cerca de um mês, nota-se que ainda não tem ideia defensiva do que o Benfica quer defensivamente, é forte e rápido no jogo aéreo. Nos últimos 15 minutos já estava em grande dificuldade física. Mas no que era a intensidade, a responsabilidade e o adversário, esteve dentro do que fizeram os colegas.

O Estrela não obrigou a nossa última linha a defender tantas vezes como contra outros adversários, portanto os sinais que deu foram os que já tínhamos visto do que pode fazer em termos individuais."

Uma estreia antes da despedida (diz-se que o central pode sair)?

"Não vou falar disso. Hoje já tenho de falar de maneira diferente, quando cheguei a Portugal vinha com uma ideia de falar sem segredos, mas em Portugal não se pode falar, por isso não tenho nada a dizer sobre o Todibo."

Pedrinho e eventuais puxões de orelhas

"Os treinadores não são puxões de orelhas a jogadores, deixem-se desses chavões, isso não existe. Têm de começar também a avançar para outras linguagens e para aquilo que é mais futebol. Os treinadores dão indicações para corrigir, moralizar ou animar. Agora essa conversa dos puxões de orelhas está muito em voga no futebol português, achava que fosse mudando consoante as pessoas que escrevem, mas pelos vistos não.

O Pedrinho chegou com pouco tempo de treino, depois houve covid e lesões, mas tenho a certeza que, com tempo de treino, é um jogador que tem talento, disso ninguém tem dúvida, e quando estiver bem fisicamente é um jogador que nos vai ajudar muito."

O regresso à Amadora e o Estrela

"Quero dar os parabéns a todas as pessoas que conseguiram reerguer o Estrela, pô-lo extremamente organizado, com condições de trabalho muito boas para a divisão onde está [Campeonato Nacional de Seniores] e voltar a dar-lhe futebol de formação. Essa foi uma das grandes conquistas do Estrela, aqui há muitos miúdos com muita qualidade que podem fazer da formação do Estrela da Amadora um grande viveiro.

Quero dar-lhes os parabéns, espero bem que subam de divisão para poder estar cá a comemorar com vocês, sentiria uma grande alegria se isso acontecesse. E o André Geraldes, que já trabalhou comigo e sei das competências dele. Das poucas horas em que convivi com o Estrela. é uma equipa muito bem organizado e com vários departamentos bem estruturados. Sabe o que quer e para onde quer ir. Os meus parabéns."