Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Jorge Jesus: "Espero bem que os jogadores do Benfica possam ser criativos para fazerem a diferença que acredito terem capacidade para fazer"

O treinador do clube da Luz lamentou, na conferência de imprensa de antevisão ao clássico com o FC Porto (sexta-feira,19h45, Sport TV1), a falta de tempo para treinos conjuntos "em relação às ideias da equipa" e afirmou que, quanto ao adversário, apenas voltou a analisar o encontro da Supertaça

Tribuna Expresso

NurPhoto

Partilhar

Ciclo de muitos jogos

"As mesmas consequências do nosso adversário, estamos em pé de igualdades, tentámos recuperar a equipa com algum trabalho ativo, algum trabalho técnico-tático, mas sem poder preparar a equipa, como é óbvio, sem a intensidade que eu gostava e, se calhar, o Sérgio também gostava.

Estamos preparados para encontrar um adversário que normalmente é forte no Dragão e temos de dar resposta a essas dificuldades com qualidade, boa organização de jogo ofensiva e defensiva e disputar todos os momentos do jogo para que a equipa do Benfica seja melhor e levar os três pontos, que é o nosso grande objetivo.

Os jogos que [o FC Porto] leva sem perder são quase tantos que nós levamos. De resto, está em pé de igualdade. Quando há um clássico, clássico é clássico, não tem tanto a ver com os momentos das equipas, o importante para mim é que o Benfica faça um bom jogo. É esse o nosso pensamento."

Houve tempo para trabalhar?

"Pelo tempo que já passou e os dias que temos treinado, aí houve mais identificação de ideias e tenho a certeza que estamos melhor do que estávamos na altura em que jogámos. Mas não pelo facto de alguns jogadores terem tido um interregno por causa do jogo com o Estrela da Amadora, não por termos feito um trabalho de conjunto em relação às ideias da equipa, porque eles também tiveram que recuperar e só tive um dia para trabalhar com eles. Não há vantagem para ninguém, saiem os dois pé de igualdade."

As melhorias na equipa

"Nos treinos não temos muito tempo para adaptar e interagir, em termos de colocar nos jogadores uma ideia de equipa. Mas, nestes últimos jogos, a equipa vem dando demonstração de alguma recuperação, fruto também de já só termos um jogador lesionado, o André [Almeida]. Todos os que vieram de covid, felizmente, já passaram os 10 dias [de isolamento]. Nesse sentido, acho que a equipa está muito melhor."

Uma eventual derrota no clássico

"Esse problema é dos dois, tanto o FC Porto como o Benfica têm os mesmos pontos. Já está a fazer contas que o Sporting ganhar. Para nós, é preferível estar a dois ou três pontos do que a cinco ou seis, mas são questões recuperáveis. Só posso falar disso depois do jogo.

E se o Benfica ganhar e o Sporting perder? Poderia pôr a pergunta ao contrário. Estamos aqui a por hipóteses de 'ses', como é que quer que eu responda?"

Lucas Veríssimo e Abel Ferreira na final da Taça Libertadores

"Ter um jogador que não é meu jogador ainda, que eu saiba não é jogador do Benfica, e tendo o Abel na final, não é nada de novo, porque tive oportunidade de falar com ele antes de eliminar o River Plate e disse-lhe que gostava que houvesse um novo português no Maracanã [onde se jogará a final], já que eu não posso lá estar."

Confiança da equipa

"As vitórias é que moralizam, a ti e aos adeptos, muito mais aos adeptos, sabemos que às vezes não conseguimos ganhar mas estamos confiantes, por sabermos que os passos que temos de dar são recuperáveis e que vamos melhorar. Os adeptos é que vivem mais dos resultados. Claro que uma vitória garante às equipas outro conforto na classificação e também moralmente."

Analisou mais jogos do FC Porto?

"Não observei mais nenhum jogo sem ser o jogo que jogámos na final da Supertaça, portanto, dá sempre para olharmos e tirar conclusões sobre o que podemos corrigir e tentar não fazer alguns erros que fizemos nesse jogo. Tentámos identificar e o meu trabalho é analisar e tentar passar uma ideia do que aconteceu no jogo com mais pormenor e certeza.

Como em todos os jogos, o que faz a diferença é a qualidade de quem joga melhor quando tem bola. Mas, se defensivamente não for uma equipa organizada, isso só não chega. Mas o que pode fazer a diferença também são as jogadas individuais, porque ambas as equipas têm jogadores que podem criar espaços que, coletivamente, as equipas não conseguem.

Desse ponto de vista, espero bem que os jogadores do Benfica possam ser criativos para fazer essa mesma diferença que acredito terem capacidade para fazer."

Regresso de Otávio vai mudar alguma coisa na abordagem?

"Na minha estratégia de jogo, na ideia de jogo do Benfica, não vai mudar nada. Do ponto de vista estratégico na equipa do FC Porto, tem alguma dinâmica com os posicionamentos do Otávio, mas em relação ao Benfica não muda nada."