Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Benfica

Jorge Jesus: "Há intranquilidade na equipa. Está-nos a faltar um jogador que meta a bola dentro do golo"

O treinador do Benfica, que não vence fora para o campeonato desde 20 de dezembro, reconheceu, após o nulo contra o Farense, que a equipa jogou "com ansiedade e pressão" para marcar golos. Jorge Jesus disse, ainda, que o título "não é uma miragem, mas está cada vez mais difícil"

Tribuna Expresso

LUIS FORRA/LUSA

Partilhar

A análise ao jogo

"Bom, perdemos mais dois tempos. Andamos à procura da vitória, fizemos 10 finalizações dentro da área com oportunidades fáceis e não conseguimos concretizar. Depois, estamos sempre sujeitos a sofrer um golo de contra-golpe ou de bola parada.

Mas a equipa voltou a criar várias oportunidade e está-nos a faltar um jogador que meta a bola dentro do golo. Os nossos avançados também não estão com sorte. O Seferovic e o Darwin tiveram oportunidades para os fazer, o Rafa esteve na cara do guarda-redes e também não conseguiu."

É ansiedade?

"É um pouco isso, é um pouco decidires rapidamente sem pensar em qual é a melhor decisão. Foi assim que falhámos finalizações praticamente na zona da [grande] penalidade, tanto na primeira parte como na segunda. Há alguma intranquilidade na equipa para fazer golo, joga com ansiedade e pressão, como é habitual e normal no Benfica.

Andamos atrás dos nossos adversários e rivais e sabemos que é importante não perder pontos, tudo isso traz uma carga acrescida para a equipa. Nestes momentos que, normalmente, são fáceis de fazer golo, a equipa acabar por não fazer."

Benfica não ganha fora desde no campeonato desde 20 de dezembro

"Fora de casa torna-se mais difícil, também é verdade que a gente não perde, mas a equipa voltou a criar, para fazer golos tens de criar oportunidades e o Benfica criou várias. Há uma grande penalidade sobre o Rafa na primeira parte, tudo isso a juntar às nossas decisões dentro da área em que não fizemos golo. Isso junta ansiedade e intranquilidade à equipa."

Os 15 pontos de desvantagem para o 1.º lugar

"Não é uma miragem, mas cada vez está mais difícil. Se fizéssemos o nosso trabalho e as nossas vitórias não era uma miragem. Hoje produzimos ainda mais e a equipa não consegue meter a bola dentro da baliza, com algumas situações fáceis para o fazer.

O que é que a gente pode fazer? Ir à procura de a equipa ficar mais tranquila para conseguir fazer aquilo que trabalha, que é conseguir criar e chegar à grande área do adversário - mas depois tem dificuldade em meter a bola dentro do golo."