Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Benfica

Jorge Jesus e o lance de Taarabt: “Qualquer coisa, gritam ‘ai’, o árbitro apita. Se todos se queixam dos árbitros, o que está errado aqui?”

O treinador do Benfica lamenta o golo anulado a Taarabt por falta assinalada por Manuel Mota ao médio marroquino. “Isto não é basquetebol. No basquetebol é que não pode haver contacto”

Tribuna Expresso

Jorge Jesus, treinador do Benfica, que parece pouco preocupado com o que se passa à sua volta. “É para o lado que dorme melhor”

JOSEP LAGO

Partilhar

A expulsão
“O jogo foi mais fácil do que eu achava de início. Achava que ia ser mais difícil. A expulsão do Boavista fez com que o Boavista não tivesse o outro momento no jogo, o contragolpe, o que é normal quando se tem menos um jogador, nota-se mais a atacar do que a defender. A equipa foi gerindo, confiante, sentindo que podia fazer golo. Podíamos ter feito mais, o 3-0 e o 4-0, acelerar, mas a equipa não quis sofrer golos. O Seferovic está num muito bom e isso é bom para nós, porque temos o Darwin a recuperar de . Mais um jogo sem sofrer golos. Estamos satisfeitos pela vitória e nota-se que há jogadores que estão a crescer individualmente.”

Diogo Gonçalves e Lucas Veríssimo
“O Diogo é um jogador com uma grande capacidade de cruzamento, acelera o jogo quando quer, ele não acredita tanto nele como eu acredito nele. Melhorou os momentos defensivos. O Lucas cada vez mais mostra que acertou num grande central”

O contacto de Taarabt
“Que eu saiba, pode haver contacto [houve golo anulado a Taarabt por falta assinalada por Manuel Mota]. Isto não é basquetebol. No basquetebol é que não pode haver contacto. Mas, mesmo assim, quando dois jogadores se encontram na disputa da bola, há contacto. Agora, cobrindo o espaço, não é falta. Eles não veem nada disso, porque nunca jogaram. Há coisas para além das leis do jogo. Acho que os árbitros deviam fazer todos uma reciclagem. Agora, qualquer coisinha, qualquer toque, em que um jogador proteja o seu espaço, aaiiii, gritam, quando eles é que tocam nos braços. Se toda a gente se queixa dos árbitros, o que é que está errado aqui? Temos de ir ao encontro disto, ok?”