Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Benfica

Benfica. Negócio entre Textor e “Rei dos Frangos” está (ainda mais) tremido, mas pode ser modificado

Nova direção terá palavra a dizer no eventual negócio. José António dos Santos rejeita intenção de nomear dois administradores se permanecer no capital da SAD do Benfica em 2022

Diogo Cavaleiro

Ilustração Hélder Oliveira

Partilhar

O negócio entre John Textor e o empresário conhecido como “Rei dos Frangos”, José António dos Santos, que visa passar 25% do capital da SAD do Benfica para o investidor americano, está um pouco mais tremido. Apesar de ter ganhado mais tempo, e de os seus efeitos estarem suspensos até ao fim do ano, essa participação acionista está mais longe de ser alcançada. Seja como for, o empresário português assegura à Tribuna Expresso, através do seu advogado, que não quer nomear dois administradores para a SAD se continuar no seu capital em 2022. E, na verdade, o contrato até pode ser alterado para não falhar.

O acordo entre as duas partes (mais propriamente dois contratos) tinha inicialmente um prazo final: 15 de setembro. Até lá, José António dos Santos tinha acordo para acumular uma participação de 25% no capital da SAD e vendê-la a John Textor. Mas ambos decidiram suspender os efeitos do negócio até ao fim do ano, como já foi comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM)

Artigo Exclusivo para assinantes

No Expresso valorizamos o jornalismo livre e independente

Já é assinante?
Comprou o Expresso? Insira o código presente na Revista E para continuar a ler