Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Benfica

José Eduardo Moniz não continuará como vice-presidente do Benfica, nem integrará qualquer candidatura

Assume-se como "amigo e admirador" de Rui Costa, mas José Eduardo Moniz não vai continuar como vice-presidente do Benfica. Em carta enviada ao candidato, descartou também a integração em qualquer lista candidata às eleições do Benfica, marcadas para 9 de outubro

Lusa

Ana Baião

Partilhar

O vice-presidente do Benfica José Eduardo Moniz manifestou, na quinta-fiera, a sua indisponibilidade para permanecer no cargo, descartando a integração em qualquer lista candidata às eleições para os órgãos sociais do clube lisboeta, agendadas para 9 de outubro.

“Na sequência do que lhe comuniquei, na conversa que tivemos esta tarde, venho formalizar a minha intenção de não me disponibilizar para fazer parte dos órgãos sociais do Sport Lisboa e Benfica ou de qualquer das entidades do seu universo empresarial”, afirmou José Eduardo Moniz, em carta enviada a Rui Costa, a que a "Lusa" teve acesso.

O dirigente dos ‘encarnados’ justificou a decisão com base em “desafios profissionais”, que “não se compadecem com dispersão de atividades”, considerando que Rui Costa, candidato à presidência do Benfica nas eleições para o quadriénio 2021-2025, “tem nas mãos um processo entusiasmante, que deve merecer o apoio de todos os benfiquistas”.

“Sou seu amigo e admirador. Trocámos confidências e alimentámos cumplicidades, ao longo destes anos. Em tempos complexos, estivemos juntos. Nestas últimas semanas, fez-se mais pela restauração do espírito do Benfica democrático do que em muitos anos”, observou.

Rui Costa, de 49 anos, confirmou esta semana que vai candidatar-se à presidência do Benfica, depois de em julho ter assumido a liderança do clube lisboeta após a demissão de Luís Filipe Vieira, que foi constituído arguido no âmbito da investigação ‘cartão vermelho’, por suspeita de vários crimes económico-financeiros.

Francisco Benítez, líder do movimento Servir o Benfica, foi o primeiro a anunciar a candidatura à presidência dos encarnados, depois de nas eleições anteriores ter desistido para apoiar João Noronha Lopes, derrotado por Luís Filipe Vieira e que já se afastou da corrida eleitoral de 9 de outubro.