Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Benfica

Jesus desmistifica desaguisado com Darwin: "Não havia motivo para castigo de nada, tem de haver diálogo entre treinador e jogador"

Na 2.ª parte, o avançado não reagiu bem a uma chamada de atenção, mas Jorge Jesus decidiu mantê-lo em campo. Na entrevista rápida no final do jogo, que o Benfica venceu por 3-1 em Guimarães, o treinador encarnado sublinhou que o técnico é sempre quem decide, mas que a pequena discussão com o jogador foi algo "normal"

Tribuna Expresso

HUGO DELGADO/EPA

Partilhar

A vitória explicada

“A conquista começou na qualidade de jogo. Ofensivamente o Benfica fez um jogo de muita qualidade. A 1.ª parte ficou 2-0 mas podiam ter sido três ou quatro, situações na pequena área que teríamos de fazer golo. Ao intervalo disse à equipa que tínhamos de fazer o terceiro para tirar o Vitória do jogo. Na 2.ª parte depois do 3-0, a pensar já na quarta-feira, começámos a mexer na equipa e começámos a achar que o 3-0 nos dava alguma segurança. O Guimarães começou a ter mais bola, o nosso corredor central começou a não se equilibrar, começaram a carregar na nossa linha. Nada que nos preocupasse ao nível de oportunidades. O Guimarães é uma equipa difícil de se ganhar, uma equipa estruturada, com estes adeptos sempre a ajudar a nunca cair, que foi o que aconteceu na 2.ª parte. Agora é recuperar para quarta-feira”

Descida de rendimento na 2.ª parte

“Atitude coletiva e tem a ver com as mexidas. Os jogadores que entraram não seguraram tão bem a equipa defensivamente. Perderam-se um bocadinho. Quando conquistávamos a bola perdemo-la com facilidade. Faltou um segundo médio para organizar, segurar a bola, nos últimos 15 minutos faltou-nos isso. Mas a vantagem era 3-1 e deu para segurar”

Discussão Jesus-Darwin

“Há um treinador que dá instruções aos jogadores para fazer o que acha melhor e há jogadores que acham que aquilo que não fizeram tão bem não é bem assim. Mas isso é normal. Por isso é que não tirei o Darwin. Eu disse-lhe naquela jogada que ele tinha de ser mais rápido a decidir, não havia motivo para castigo de nada, tem de haver diálogo entre treinador e jogador. Sabendo que o treinador é quem decide. Eu já tinha na cabeça que ia sair o Roman”

Jogos de três em três dias

“Estamos num contexto em que todas as equipas querem estar, estamos todos assim, o Benfica, Sporting, FC Porto e Braga. Ter jogos de três em três dias é para os melhores. Temos de achar isto a normalidade e não nada de especial. Não podemos ter a equipa carregada, ter uma equipa leve”