Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Benfica

O discurso da vitória de Rui Costa: “Tenho noção das responsabilidades acrescidas. Virámos uma página, o grande vencedor foi o Benfica”

Começou a falar já bem depois das 5h de domingo e a ler de um discurso escrito em papel. Rui Costa, acabado de tomar posse como presidente do Benfica, lembrou que "já [foi] de tudo, de adepto de bancada a apanha-bolas", agora é presidente e sublinhou que é o início "de um novo ciclo" no clube. Nas palavras da vitória, mencionou Luís Filipe Vieira, "cuja obra de recuperação, consolidação e crescimento do Benfica ao longo de 18 anos merece o melhor dos reconhecimentos"

Tribuna Expresso

NUNO FOX

Partilhar

“Caros e caras benfiquistas, o grande vencedor desta eleição história foi, de forma expressiva, o Sport Lisboa e Benfica e a sua grandeza. Que grande dia à Benfica e que grande resposta de amor deram os nossos sócios. Por isso repito: o grande vencedor desta eleição foi, e será sempre, o Benfica.

Com 40.115 votantes, tivemos a maior mobilização e participação de sempre em eleições num clube em Portugal, sem qualquer tipo de paralelo a nível nacional e raríssimos casos no mundo. Ficou assim expressa a grandeza do nosso clube, numa demonstração de forte empenho e força em relação ao nosso futuro. Quero, por isso, agradecer aos milhares de benfiquistas que fizeram questão de dizer presente.

O Benfica sai bem mais forte depois deste processo eleitoral. Tivemos um debate vivo e frontal, com pleno uso dos meios do clube que muito contribuiu para a enorme mobilização que pudemos testemunhar. Quero também deixar uma palavra de elogio na pessoa de Francisco Benitez e a todos benfiquistas que se candidataram aos órgãos sociais do nosso clube pela Lista B; fizeram jus ao seu lema: Servir o Benfica, contribuindo para esta eleição histórica.

Mas hoje o Benfica falou a milhares de vozes, de forma inequívoca e clara. Ao ser eleito presidente com mais votantes na sua história, tenho clara noção das responsabilidades acrescidas que eu e a minha equipa recebemos. A partir de hoje não há vencedores nem vencidos, o único vencedor é o nosso Benfica. Virámos uma página na história do nosso clube, em que sucedo no cargo de presidente a Luís Filipe Vieira, cuja obra de recuperação, consolidação e crescimento do Benfica ao longo de 18 anos merece o melhor dos reconhecimentos.

Amanhã [domingo] inicia-se um novo ciclo, com redobrada ambição e confiança no futuro. A responsabilidade acrescida e a legitimidade recebida impõe também de todos e cada um de nós, a consciência que temos de nos unir e sermos ainda mais fortes. Respeitando a diversidade, mas unidos na ação, porque a causa que nos une é só uma e único, o glorioso Sport Lisboa e Benfica. Não há outra.

Estamos aqui por todos os sócios e adeptos que, em Portugal e por todo o mundo, vibram com o Benfica; estamos aqui pelas Casas do Benfica, pelos nossos atletas, quadros de profissionais, para fazermos a defesa intransigente do Benfica que amamos com enorme paixão, em que equipas e atletas do clube estejam presentes. Essa é a prioridade absoluta. Tudo o resto tem como foco contribuir para que isso se concretize, seja ao nível da gestão financeira, patrimonial ou organizativa.

Somos a maior instituição desportiva nacional, que se orgulha, e muito, da sua história. Somos o Benfica. Aos meus futuros colegas, muito obrigado pela vossa disponibilidade. Vamos a isto e à Benfica.

Mãe, Pai, filhos, a minha Mulher, família, ninguém melhor do que vocês sabe o amor que sinto por este clube desde tenra idade. Já fui de tudo, de apanha-bolas a adepto de bancada, de jogador a dirigente. Por isso, o Benfica foi também e sempre a minha família, e à família benfiquista expresso o meu compromisso para tudo fazer, todos os dias, para honrar a vossa confiança. Serei sempre um de vós, porque o Benfica do futuro é por todos, com todos, pelo Benfica. Viva ao Benfica!”.

  • Entrevista a Rui Costa: “​No Benfica não há vieirismos, nem costismos, nem benitismos”
    Benfica

    Umas letras pequeninas num cartaz em Fafe picaram-no para singrar. Chegou a presidente do Benfica depois de as investigações judiciais afastarem Luís Filipe Vieira — o qual, assume, podia ter sido mais transparente com os colegas da SAD. Se vencer as eleições deste sábado, admite reunir-se com o americano John Textor. Quanto a Jorge Jesus, ainda não há certezas, mas garante: “Não estamos distraídos”