Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Benfica

Jorge Jesus: “Não é por acaso que o Bayern faz quatro ou cinco golos por jogo contra que equipa for”

O treinador do Benfica, após a derrota (5-2) sofrida em Munique, contra o Bayern, para a Liga dos Campeões, disse na flash interview da "Eleven Sports" que os alemães são, provavelmente, a equipa com maior intensidade de jogo: "Puseram-nos à prova e fizeram-nos correr muito"

Tribuna Expresso

DeFodi Images

Partilhar

A análise ao jogo

“Saio convencido que esta equipa é forte, justificou hoje mais uma vez, tem uma intensidade muito alta de jogo e como tínhamos vários jogadores com segundo amarelo não podendo levar o terceiro, tentámos defender a equipa para os jogos da decisão em Barcelona e contra o Dínamo. Foram jogadores que não têm jogado tanto e se comportaram muito bem.

É um resultado que não diria pesado, mas, face à qualidade da equipa do Bayern… Não é fácil, não é por acaso que fazem quatro ou cinco golos por jogo contra que equipa for, mas pronto, marcámos dois golos aqui, o que também não é fácil, e ficaram coisas boas. O Otamendi, o Weigl e o Rafa, como estavam à bica com o cartão amarelo, tentámos proteger. Quase de certeza que o Nico e o Julian iam levar com um cartão neste jogo”.

O que aconteceu?

“Poderia ser diferente defensivamente. Em alguns golos que sofremos normalmente fazemos melhor. É verdade que estes jogadores, pela sua movimentação, criam muitos problemas. Tens de dar mérito, duvido que haja alguma equipa com esta intensidade de jogo, não digo que jogam melhor do que os outros, falo em intensidade. Puseram-nos à prova e fizeram-nos correr muito, mas há jogadores que me deram boas indicações.”

O próximo jogo é em Camp Nou

“A gente tem de ser pragmáticos e objetivos. Antes, quando foi o sorteio, dificilmente o Benfica seria apurado. Mas, face ao que estamos a disputar, ainda estamos com uma réstia de esperança e a pôr em dúvida o apuramento do Barcelona. Ainda dependemos de nós, mas será um jogo de cada vez”.