Tribuna Expresso

Perfil

Ciclismo

Jakobsen foi derrubado por um adversário e está em coma, com nariz, faringe e laringe esmagados. Há quem peça cadeia para quem empurrou

Durante o sprint final da primeira etapa da Tour da Polónia Dylan Groenewege empurrou Fabio Jakobsen, que caiu violentamente. Ambos disputavam o primeiro lugar da etapa. Alertamos para a violência das imagens

Tribuna Expresso

Partilhar

Fabio Jakobsen está em coma. Uma brutal queda após ter sido empurrado pelo adversário Dylan Groenewege, quando ambos disputavam o primeiro lugar na primeira etapa da Tour da Polónia, deixou o ciclista holandês de 23 anos entre a vida e a morte. “Está gravemente ferido”, anunciou a médica da competição esta quarta-feira.

O ciclista tem um traumatismo crânio-encefálico muito grave (uma lesão no tecido cerebral causado por um forte impacto da cabeça, neste caso o embate no chão). “Foi muito difícil entubá-lo devido aos ferimentos no céu da boca. O palato e o trato respiratório superior [nariz, seios perinasais, faringe, amígdalas e laringe] ficaram completamente esmagados, mas conseguimos entubá-lo embora tenha perdido muito sangue. O coração está a funcionar bem. Ele precisa de toda a nossa energia para continuar a lutar”, explicou a médica Barbara Jerschina, citada pelo jornal espanhol “Marca”.

As imagens transmitidas Polaca TVP, que estava em direto a transmitir a reta final da etapa, mostram o grupo de ciclistas a chegar à meta, com Jakobsen a liderar. É então que Groenewegen se aproxima e levanta um pouco o braço direito - e empurra o rival. Jakobsen desequilibra-se, embate contra a proteção lateral e o corpo cai no chão.

Pior: para lá da estrada, havia uma linha de comboio, com ferro e gravilha. Na estrada, também vários outros ciclistas acabariam por cair logo em seguida.

A primeira informação divulgada pelo Tour da Polónia dava conta que Jakobsen tinha fica ferido com gravidade, que lhe tinham sido administrados relaxantes musculares e que estava em coma induzido. Não muito depois, chegou a confirmação por parte da direção médica: estava em perigo de morte.

No meio de toda a confusão junto da meta - alguns outros ciclistas ficaram feridos, mas sem gravidade - a etapa acabou por ser vencida por Groenewege. No entanto, a organização da prova desqualificou-o e Jakobsen foi declarado o vencedor. Nas horas seguintes aos acontecimentos vários nomes do ciclismo pediram que Groenewege fosse responsabilizado pelos seus atos e punido por ter provocado de forma deliberada a queda. O diretor da equipa de Jakobsen, a Deceuninck-Quick Step, pediu até que Groenewege fosse preso.

Entretanto, a equipa que Groenewege representa também recorreu às redes sociais para pedir desculpa pelos acontecimentos. “Choques como estes não deviam acontecer. Pedimos as sinceras desculpas e vamos discutir internamente o que aconteceu antes de fazer mais alguma declaração”, pode ler-se.

Também a União Ciclista Internacional já condenou a atitude de Dylan Groenewegen. “Consideramos este comportamento inaceitável, remetemos imediatamente o assunto para a Comissão Disciplinar para solicitar a aplicação de sanções de acordo com a gravidade daquilo que aconteceu”, refere em comunicado citado pela “Marca”. “A nossa Federação está solidária com os ciclistas afetados”, acrescenta ainda a nota.