Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Ciclismo

Um quarto lugar em 2020, um sexto em 2021, um grande João Almeida para sempre

O ciclista português, que ainda só tem 22 anos, foi o quinto mais rápido no contrarrelógio final desta edição do Giro d'Itália, conquistada pelo colombiano Egan Bernal. O ano passado, João Almeida acabara a prova (a sua primeira grande Volta) na quarta posição. Agora, foi até ao sexto lugar

Diogo Pombo com Lusa

Stuart Franklin/Getty

Partilhar

Poderia ter sido um feliz casamento extemporâneo de inspiração, forma física, determinação e a pitada de sorte necessária. Um que durou vinte e poucos dias na primeira vez que ele passara tantos dias seguidos a pedalar país dentro, numa Volta com 'V' capitular por ser uma das que se tem como grandes.

A história que ficou e já se sabe guardou-o como o rapaz de A-dos-Francos que contou 15 dias vestido com o rosa da liderança do Giro d'Itália. Dessa vila saiu um novo ciclista para Portugal que poderia ter sido uma tal felizarda obra do momento, mas não, não o foi, e se era preciso prova ele demorou menos de um ano a comprová-lo nos mesmos lugares.

O quarto lugar com que terminou o Giro do ano passado deixaram-no como o melhor português de sempre a lá ter ido pedalar e, neste 2021, passados outros 20 e tal dias a rodar por Itália, o mesmo português voltou a acabar com brilho nos pedais.

João Almeida foi o sexto ciclista mais rápido a dar a Volta ao pedaço de terra que visto dos céus se assemelha a uma bota. Este domingo, terminou o contrarrelógio final na quinta posição, garantindo que acabaria ainda mais dentro do top-10 da classificação geral - e também com raízes cada vez mais profundas na história do ciclismo português.

A última das etapas, em Milão

O colombiano Egan Bernal (INEOS) venceu, este domingo, a 104.ª edição da Volta a Itália em bicicleta, após o contrarrelógio da 21.ª e última etapa, na qual João Almeida (Deceuninck-QuickStep) subiu ao sexto posto final.

Num exercício de 30,3 quilómetros entre Senago e Milão, ganho pelo italiano Filippo Ganna (INEOS) com um tempo de 33.48 minutos, o português foi quinto, a 27 segundos do vencedor, e aproveitou para subir dois lugares na classificação geral final, para o sexto posto, a menos de um segundo do quinto, depois de em 2020 ter acabado no quarto lugar.

Bernal, de 24 anos, junta o Giro à vitória na Volta a França de 2019, após ter conseguido também dois triunfos em etapa nesta 104.ª edição. O italiano Damiano Caruso (Bahrain-Victorious) acabou em segundo, a 1.29 minutos, enquanto o britânico Simon Yates (BikeExchange) fechou o pódio, a 4.15.