Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Ciclismo

Jens Voigt e o Tour, que arranca este sábado: "Estou convencido que o Primoz Roglic vai chacinar toda a gente"

Na estrada era combativo e um verdadeiro jogador de equipa. Fora da bicicleta, bem-disposto e afável. Jens Voigt foi um dos omnipresentes ciclistas do início do século e agora, aos 49 anos, está do lado de cá, a comentar os feitos daqueles que têm o asfalto como local de trabalho. À Tribuna Expresso fala das expectativas para a Volta a França, que arrancou este sábado e estará nas estradas até 18 de julho, e aponta já dois favoritos: Tadej Pogacar e Primoz Roglic

Lídia Paralta Gomes

FRANCK FIFE/Getty

Partilhar

Era um daqueles ciclistas que todos gostavam de ter ao lado, o sonho de qualquer diretor desportivo: sabia quando trabalhar para a equipa, mas também ser agressivo nas oportunidades que tinha. Venceu duas etapas individuais da Volta a França, onde chegou a vestir de amarelo em 2001 e 2005, e foi ainda detentor do recorde da hora em 2014, sendo o mais velho de sempre a fazê-lo, com 43 anos.

Jens Voigt tem hoje 49 anos, será um dos comentadores da prova para a Eurosport na Alemanha, e acredita que a Volta a França deste ano, que arranca este sábado e estará nas estradas nas próximas três semanas, será novamente um assunto entre dois eslovenos: Tadej Pogacar (UAE Emirates), vencedor do ano passado, e Primoz Roglic (Jumbo-Visma). Coloca ainda em causa a estratégia da INEOS, que leva quatro potenciais ciclistas para a geral e explica-nos a origem da sua mítica catchphrase: “Shut up legs!”.

Depois do espectacular final do ano passado, em 2021 vamos voltar a ver uma luta no Tour entre Tadej Pogacar e Primoz Roglic?
Sim, absolutamente. Estou convencido que o Primoz Roglic vai chacinar toda a gente. Vai ser o ciclista dominante numa das mais fortes equipas do Tour [Jumbo-Visma], talvez em igualdade com a INEOS Grenadiers, e por isso acredito que vamos ver uma grande batalha entre o Tadej Pogacar, que defende o título, e o Primoz Roglic. A INEOS vai lutar pelo terceiro lugar.

Artigo Exclusivo para assinantes

No Expresso valorizamos o jornalismo livre e independente

Já é assinante?
Comprou o Expresso? Insira o código presente na Revista E para continuar a ler