Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Ciclismo

João Almeida, o Grão-Duque do Luxemburgo

O ciclista português venceu a Volta ao Luxemburgo, no seu segundo triunfo em corridas por etapas do último mês (em agosto ganhou a Volta à Polónia). Na última tirada, o corredor das Caldas da Rainha ficou novamente em 2.º, reforçando a imagem de regularidade que mostrou em toda a competição: ficou nos dois primeiros lugares em quatro dos cinco dias da prova

Pedro Barata

Bas Czerwinski/Getty

Partilhar

"O Grão-Ducado do Luxemburgo é uma monarquia constitucional parlamentar, com um chefe de governo, o Primeiro-Ministro, e um chefe de Estado, o Grão-Duque, com uma função unicamente honorífica." A descrição feita do Luxemburgo na página oficial da União Europa esclarece-nos sobre a estrutura do poder no país. Ora, no plano desportivo há um nova figura maior no Luxemburgo: João Almeida, o vencedor da Volta ao Luxemburgo 2021.

O português selou o triunfo ao ficar em 2.º na última etapa, a qual ligou, num percurso de 181,5 quilómetros, Mersch à cidade do Luxemburgo. Num dia sempre controlado pela equipa do português, a Deceuninck-Quick Step (que João trocará pela UAE Emirates), uma subida curta, mas íngreme, a menos de dois quilómetros para o fim assumia-se como o maior perigo para o luso.

Nessa rampa, o colombiano Nairo Quintana tentou o ataque, mas João Almeida respondeu com a classe de um líder, levando o pelotão até junto do colombiano, numa demonstração de força e ambição. Já nas centenas de metros finais, o francês David Gaudu arrancou para a vitória, sendo seguido de João Almeida, que terminou a escassos metros do gaulês e, assim, selou a conquista da classificação geral individual.

Bas Czerwinski/Getty

João Almeida terminou a competição 46 segundos à frente do suíço Marc Hirschi e com 1 minuto e 5 segundos de vantagem para o italiano Mattia Cattaneo, seu companheiro de equipa. Mais do que o tempo de vantagem, o triunfo do homem das Caldas da Rainha possui a autoridade conferida por uma grande regularidade ao longo de toda a Volta.

Em quatro das cinco etapas, Almeida ficou entre os dois primeiros: o português venceu a 1.ª etapa e ficou em 2.ª nas tiradas número dois, quatro e cinco. Tamanha consistência valeu a João a conquista da classificação por pontos, a qual se junta ao triunfo na geral individual e ainda na classificação da juventude.

João Almeida continua assim a viver uma temporada de grande sucesso. Após ter terminado o Giro na 6.ª posição, e de outras prestações muito boas como o 7.º lugar da Volta à Catalunha (na qual chegou a ser líder) ou o 3.º no UAE Tour, o jovem conquistou, em agosto, a Volta à Polónia. Poucas semanas depois, o luso leva para casa outro triunfo numa corrida por etapas.

É costume ouvirmos que ganhar é um vício. Pois bem, João Almeida, que continua a surpreender pela maturidade que apresenta para alguém que tem 23 anos, está a ganhar esse doce costume. Nunca um português tinha vencido a Volta ao Luxemburgo. É mais um feito inédito para acrescentar ao palmarés de um atleta que promete continuar a dar glórias às quais o ciclismo português não estava muito habituado.