Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Ciclismo

João Almeida “precisa de descansar” após a vitória no Luxemburgo, mas deixa garantia para os Mundiais: “Estarei lá a dar tudo por Portugal”

Depois do triunfo na Volta ao Luxemburgo, a segunda corrida por etapas que conquista no último mês, o ciclista luso expressou a sua "felicidade", garantindo que as vitórias lhe "dão mais confiança" e apontando já baterias para os campeonatos do mundo que decorrerão na Flandres

Pedro Barata

Bas Czerwinski/Getty

Partilhar

O rosto de João Almeida evidenciava a felicidade de quem possuía uma sensação de dever cumprido, mas essa mesma cara jovem não escondia o cansaço. Na sequência da vitória na Volta ao Luxemburgo, o português foi falar aos jornalistas e, em inglês, foi respondendo às perguntas de maneira assertiva e confiante, mas com o desgaste na voz e nas expressões que é tão natural quando se acabou de concluir uma corrida por etapas.

Um mês volvido do triunfo na Volta à Polónia, Almeida voltou à ribalta no Luxemburgo. E João diz que a "justificação" para os êxitos é "tentar melhorar a cada dia e ser cada vez mais forte", explicando que as vitórias lhe dão "mais confiança" em si próprio", algo que "é muito importante para o futuro".

O português, de 23 anos, venceu a 1.ª etapa da corrida do Luxemburgo e ficou em 2.ª noutras três jornadas, incluindo a última. O corredor das Caldas da Rainha disse que "estava com boas pernas" na etapa final, mas que "não era possível responder a toda a gente" nos derradeiros quilómetros", até porque não é "um super-herói", não tendo conseguido "fechar o espaço" para o francês Gaudu, vencedor da 5.ª e última tirada da Volta.

Almeida com o italiano Cattaneo, seu companheiro de equipa e 3.º classificado na geral final

Almeida com o italiano Cattaneo, seu companheiro de equipa e 3.º classificado na geral final

Bas Czerwinski/Getty

Almeida, que destacou o "muito apoio dos portugueses na estrada", elogiou a sua equipa, que disse ter sido "incrível", conseguindo ter "quatro ou cinco companheiros" consigo até perto do final. Recorde-se que o luso está a fazer as suas últimas corridas pela Deceuninck-Quick Step, visto que já tem acordo com a UAE Emirates para a próxima temporada (e até 2027).

Finalmente, João apontou já baterias ao próximo objetivo da temporada, os Mundiais da Flandres, nos quais Almeida correrá na prova em linha de elites masculina, com data marcada para 26 de setembro. O ciclista avisou que "precisa de descansar" depois do esforço da Volta ao Luxemburgo, mas prometeu "estar lá a lutar e dar tudo por Portugal".

O jovem salientou que o campeonato do mundo será "uma corrida diferente, uma prova de um dia em que tudo pode acontecer". Para Almeida, o "percurso é difícil" e não é "100 por cento feito" para si e, portanto, será preciso ver como "estarão as suas pernas". Nos Europeus realizados já este mês, o corredor das Caldas foi 10.º no contra-relógio e 14.º na prova de fundo.