Tribuna Expresso

Perfil

Coronavírus

Covid-19. Campeonatos nacionais de corta mato longo cancelados

Prova marcada para domingo foi adiada para novembro de 2020 devido ao surto de COVID-19. Federação Portuguesa de Atletismo optou ainda por suspender a participação em competições internacionais, concentrações, estágios e eventos nos quais seja expectável a presença de pessoas provenientes de zonas afetadas

Isabel Paulo

Oliver Hardt

Partilhar

Após as orientações emitidas pela Direção-Geral da Saúde (DGS) relativas à realização de eventos de massas no contexto do COVID-19, a Federação Portuguesa de Atletismo (FPA) decidiu cancelar os campeonatos nacionais de corta mato longo, agendados para o próximo domingo em Vale de Cambra. nesta cidade. “Enquanto entidade socialmente responsável, é obrigação da FPA tomar todas as medidas para travar a propagação do COVID-19”, refere Jorge Vieira.

As orientações da DGE recomendam o cancelamento ou adiamento de eventos de massas que, pelo seu número de participantes, proveniência dos mesmos ou condições de realização,“ sejam suscetíveis de gerar riscos inadequados”, justifica o presidente da FPA. Jorge Vieira adianta que “tendo em conta a importância dos Campeonatos Nacionais de Corta Mato Longo, que têm prevista a participação de cerca de 1000 atletas, dos 16 aos 80 anos, e que são, naturalmente, acompanhados por pessoal técnico, dirigentes e familiares, o atual contexto exige uma reflexão responsável ”.

Na decisão pesou ainda a habitual presença de espectadores de todo o país, incluindo de zonas com focos ativos de COVD-19. Os campeonatos agora cancelados irão disputar-se na próxima época desportiva, em novembro de 2020, no mesmo local. A FPA também decidiu adiar a participação nos Campeonatos Nacionais de Marcha Atlética em Estrada, competição, ainda sem nova data prevista.

Mantém-se, porém, a intenção de realizar a competição de modo a manter a janela de oportunidade para que os melhores atletas portugueses se qualifiquem para os Jogos Olímpicos.

Até ver, a FPA também optou por suspender a participação em competições internacionais, bem como a realização das próximas competições nacionais, concentrações, estágios e formações por si organizados ou promovidos. A toda a comunidade do atletismo nacional, entidade máxima da modalidade recomenda a não realização de atividades e eventos ligados ao atletismo nos quais seja expectável a presença de elementos provenientes de zonas afetadas, bem como as realizadas nos locais onde tenham sido identificados casos ativos de COVID-19.

A FPA relembra as diretivas da DGS, que defendem o adiamento ou cancelamento de todos os eventos que impliquem a concentração de mais de 150 pessoas em concelhos nos quais se verifique a existência de focos com transmissão secundária de COVID-19 ou quando existirem casos confirmados em relação aos quais não se encontra a ligação epidemiológica.

A Federação Portuguesa de Atletismo recomenda, por isso, às Associações Regionais que adotem medidas semelhantes, para que haja um contributo concertado da modalidade no combate à propagação do COVID-19.