Tribuna Expresso

Perfil

Coronavírus

Seleção de Para Surfing abandona Mundial devido a fecho das fronteiras dos EUA

A decisão do presidente dos EUA levou a comitiva nacional presente no Mundial de Para Surfing da ISA, a decorrer na Califórnia, a proceder à retirada do país. O regresso deverá acontecer ainda esta quinta-feira, via Frankfurt, num dos últimos voos disponíveis para a União Europeia

Isabel Paulo

Partilhar

A comitiva nacional presente no Mundial de Para Surfing da ISA que decorre na Califórnia está, neste momento, a proceder à saída dos EUA, decisão tomada após Donald Trump ter anunciado, esta quarta-feira, o fecho de fronteiras dos EUA a viajantes oriundos da Europa, cancelando, assim, as ligações áreas.

A Federação Portuguesa de Surf refere, em comunicado, que a “difícil decisão”, tomada após deliberação dos responsáveis federativos com consulta dos atletas e técnicos que fazem parte da Seleção Nacional, foi “precipitada” pelo anúncio de Donald Trump.

“É uma decisão extremamente difícil que fomos obrigados a tomar. Estamos a abandonar uma prova em que tínhamos hipóteses concretas de obter várias medalhas, mas o mais que provável sucesso desportivo tem, neste caso, de ser secundarizado em relação ao bem-estar e segurança dos atletas. É essa a nossa principal preocupação numa altura em que as rotas de regresso foram muito limitadas e podem mesmo ser completamente vedadas sem aviso prévio”, justifica o presidente da FPS e líder da comitiva, João Aranha.

O regresso deverá acontecer ainda hoje, via Frankfurt (num dos últimos voos disponíveis para a União Europeia) com a comitiva a aterrar em Lisboa durante o dia de amanhã.