Tribuna Expresso

Perfil

Coronavírus

Premier League, enfim, também está suspensa

Primeira, parecia estar tudo bem. Depois, o treinador do Arsenal ficou infetado com covid-19. E, esta sexta-feira, os clubes votaram, de forma unânime, para que a Premier League fique suspensa até 4 de abril. Entre os cinco maiores campeonatos da Europa, só a Bundesliga ainda não o fez

Tribuna Expresso

Alex Livesey

Partilhar

Na noite de quinta-feira, Boris Jonhson falou aos britânicos com um quê de dramatismo na voz. "Esta é a pior crise de saúde pública para uma geração. Muitas mais famílias vão perder os seus entes queridos precocemente", acautelou o primeiro-ministro britânico, suspeitando que o número real de pessoas infetadas pelo coronavírus fosse maior que a contagem pública.

Na mesma noite, nada se ouviu da Premier League, o por muito boa gente considerado melhor campeonato de futebol da Europa, pelo ambiente nos estádios, o frenesim do futebol e todo o espetáculo envolvente. Já Itália e Espanha tinha suspendido as suas ligas e, de Inglaterra, nada se ouvia.

Mais tarde, também nessa noite, soube-se que Mikel Arteta, treinador do Arsenal, testara positivo pela covid-19, a quem se seguiu Callum Hudson-Odoi, jogador do Chelsea. O coronavírus entrara em dois grandes do país e dos maiores clubes de Londres.

Apenas já para o fim da manhã desta sexta-feira, contudo, a Premier League anunciou o que parecia inevitável: todo o futebol inglês está suspenso até 4 de abril. "Podemos assegurar a todos que a saúde e o bem-estar dos jogadores, do staff e dos adeptos são a nossa prioridade", lê-se, no curto comunicado.

escrevia Gary Lineker, conhecido ex-futebolista inglês e ainda mais popularizado enquanto apresentador televisivo: "O futebol não é assim tão importante".