Tribuna Expresso

Perfil

Coronavírus

Covid-19. Jovic deixou Madrid, foi à festa da namorada em Belgrado. Culpou as pessoas “pouco profissionais” que não o avisaram da quarentena

O futebolista sérvio Luka Jovic assegurou que foi autorizado pelo Real Madrid a viajar para o seu país e disse ter sido mal informado sobre as medidas de quarentena impostas na Sérvia

Lusa

TF-Images

Partilhar

O futebolista sérvio Luka Jovic assegurou hoje que foi autorizado pelo Real Madrid a viajar para o seu país e disse ter sido mal informado sobre as medidas de quarentena impostas na Sérvia, devido à pandemia de Covid-19.

Numa mensagem divulgada na rede social Instagram, o avançado do Real Madrid, que passou pelo Benfica entre 2016 e 2017, reagiu às notícias de que estaria a ser investigado pelas autoridades da Sérvia, depois de ter viajado de Espanha para o seu país e ignorado a quarentena obrigatória.

"Em Espanha, o teste que fiz para despistar o novo coronavírus deu negativo. Por isso, decidi vir para a Sérvia, ajudar e apoiar o meu povo, e para estar perto da minha família, sendo que fui autorizado pelo meu clube. Quando cheguei à Sérvia, fiz novamente o teste e voltou a dar negativo. Tenho muita pena que algumas pessoas tenham sido pouco profissionais e não me tenham informado corretamente sobre as medidas de quarentena no país", escreveu Jovic.

De acordo com a imprensa sérvia, o jogador, de 22 anos, viajou para Belgrado na semana passada, tendo sido visto nas ruas daquela cidade e também na festa de aniversário da namorada.

"Em Espanha, podia deslocar-me a uma farmácia ou supermercado para me abastecer, mas aqui não se pode. Peço desculpa a todas as pessoas que possa ter colocado em perigo e desejo que consigamos, todos, ultrapassar este momento que estamos a vivenciar. Apoiem a Sérvia e vamo-nos manter unidos", divulgou na rede social.

O Governo sérvio declarou o estado de emergência no país, à semelhança do que sucede em Portugal, sendo que uma das medidas impostas é o isolamento de até 28 dias de pessoas que viajem de países que registem casos de infeção pelo novo coronavírus, como é o caso de Espanha, uma das nações mais afetadas pela doença, com 17.147 casos e 767 mortes.

Na semana passada, o Real Madrid impôs a quarentena obrigatória a todos os seus atletas, depois de ter sido confirmado um caso positivo de coronavírus na equipa de basquetebol madridista.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infetou mais de 235 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 9.800 morreram.

Das pessoas infetadas, mais de 86.600 recuperaram da doença.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se já por 177 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.