Tribuna Expresso

Perfil

Coronavírus

Covid-19. Na Bielorrússia ainda há futebol com adeptos no estádio e um presidente que aconselha a beber vodka para “envenenar” o vírus

Aleksandr Lukashenko, presidente bielorrusso há 26 anos, reuniu com os ministros do governo para discutir o que considera ser "a psicose do coronavírus", desdramatizando tudo o que está a acontecer e dizendo que "os chineses" disseram-lhe que "o vírus morre a partir dos 60º C". Esta quinta-feira houve jogos do campeonato do país, com público nos recintos

Tribuna Expresso

Alexei Nikolsky/Getty

Partilhar

Aleksandr Lukashenko tem o que se pode descrever como relação especial com o poder. Este senhor, dono de bigode, foi eleito presidente da Bielorrússia em 1994, é reeleito desde então e, nestes 26 anos, já o acusaram - e, por tabela, sancionaram o país - de violar alguns direitos humanos e manipular eleições. Em 2012, o "The Guardian" até o definiu como "o último ditador da Europa", afirmação discutível, mas não tanto quanto o facto de, neste momento, a Bielorrússia ser um país especial na relação com o futebol.

Neste momento, em que o surto de Covid-19 já infetou mais de 200 mil pessoas, matou cerca de 8.600 e chegou a mais de 40 países na Europa, onde, quase em todo o lado, o desporto profissional está suspenso, a Bielorrússia realizou a primeira jornada do seu campeonato principal.

Fê-lo, até, com adeptos nos estádios, apesar de já terem sido confirmados 46 casos no país, de acordo com a contagem da Organização Mundial de Saúde. Casos, porém, de um coronavírus sobra o qual Aleksandr Lukashenko tem uma opinião desalinhada com a da perceção generalizada dos líderes políticos europeus.

O presidente bielorrusso terá dito, durante um encontro com o governo e os ministros do país, na segunda-feira, que "o coronavírus é uma psicose" e "uma parvoíce", escreveu o "Daily Telegraph", citando a sua correspondente na região. O "Russia Today" acrescentou que Lukashenko terá, depois, aconselhado a população a "lavar as mãos muitas vezes e a comer a horas certas", brincando que "o vodka não serve para lavar as mãos", mas deixando um conselho - "há que beber 100 mililitros ao dia para "envenenar" o vírus.

Depois, terá ainda explicado que "os chineses" lhe disseram "que o vírus morre" a uma temperatura superior "a 60.ºC".

O Bate Borisov, clube com mais títulos no país, jogou esta quinta-feira contra Energetik-BGU de Minsk, e, na sexta-feira, está previsto que aconteçam outros jogos, incluindo um do Dinamo Brest, onde joga o português Dénis Duarte (ex-Vitória de Guimarães).