Tribuna Expresso

Perfil

Coronavírus

Covid-19. Cristiano Ronaldo pode ter o seu salário cortado de três formas diferentes na Juventus

Segundo a imprensa desportiva italiana, o capitão Chiellini já informou o plantel da Juventus. Estas três propostas foram discutidas com o presidente Andrea Agnelli e com o diretor desportivo Fabio Paratrici

Pedro Candeias

Daniele Badolato - Juventus FC

Partilhar

Os jornais desportivos italianos descrevem uma reunião a três, entre Andre Agnelli, o patrão, Fabio Paratrici, o diretor desportivo, e Giorgio Chiellini, o capitão de equipa que também é mestre em Gestão e Administração de Empresas.

Nesse encontro, discutiu-se qual a melhor abordagem para enfrentar o impacto financeiro que a pandemia do novo coronavírus terá na Juve, e as partes terão concluído que será inevitável haver um reajuste nos rendimentos dos jogadores do clube de Cristiano Ronaldo.

E há três forma de o fazer:

Interrupção

Chamem-lhe plano A: os salários de março são pagos integralmente e, depois, das duas, uma: serão interrompidos até que a Serie A recomece ou se, na eventualidade de os jogos serem retomados entretanto, os jogadores vejam os pagamentos congelados e pagos mais à frente,.

Renúncia

A segunda proposta é mais drástica: os jogadores abdicam de receber dois meses de salário nos próximos quatro meses, caso o campeonato fique suspenso; ou abdicam de receber um dos próximos quatro meses, se a Serie A for realmente completada. O dinheiro seria, depois, depositado na época seguinte.

Corte

A terceira proposta passa por renunciar completamente a mês e meio de salário nos próximos quatro meses, sendo que essa verba nunca mais seria devolvida aos jogadores.