Tribuna Expresso

Perfil

Coronavírus

Na Bielorrúsia o futebol não pára, o presidente diz que 100ml de vodka envenenam o vírus - mas os jogadores não gostam

Os jogadores que atuam na primeira liga da Bielorrússia estão preocupados por continuarem a exercer a profissão durante a pandemia de covid-19, revelou hoje a Federação Internacional das Associações de Futebolistas Profissionais (FIFPro)

Lusa

SERGEI GAPON

Partilhar

Os jogadores que atuam na primeira liga da Bielorrússia estão preocupados por continuarem a exercer a profissão durante a pandemia de covid-19, revelou hoje a Federação Internacional das Associações de Futebolistas Profissionais (FIFPro)

Aquele país do leste europeu é o único que não interrompeu as competições no continente, uma situação que “não é compreensível e deixa os jogadores preocupados”, segundo revelou o secretário-geral do organismo, Jonas Baer-Hoffmann.

A situação vivida vai de encontro à postura adotada pelo presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, que recusou limitar o movimento das pessoas, tendo mesmo vindo a público afirmar que “é melhor morrer em pé do que viver de joelhos". E também disse que 100ml de vodka por dia envenenariam o vírus.

Na última jornada, os adeptos que entraram nos estádios receberam gel desinfetante para as mãos, mas poucos usaram máscaras de proteção.