Tribuna Expresso

Perfil

Coronavírus

Não jogou o Atalanta - Valencia por estar doente. Agora, agradece à varicela por não ter apanhado covid-19

Florenzi, emprestado pela Roma ao Valencia, falhou o encontro que terá resultado em vários contágios na equipa espanhola. E agradeceu a sorte, em entrevista à Sky Sports italiana

Tribuna Expresso

Florenzi, quando ainda jogava na Roma. Paulo Fonseca disse-lhe em janeiro que não havia lugar para ele e o italiano não guarda rancor. "Futebolisticamente, é o melhor treinador que tive"

FILIPPO MONTEFORTE

Partilhar

“Agradeço à varicela por não ter apanhado coronavirus [Florenzi não jogou o Atalanta - Valencia, da Liga dos Campeões, considerado uma 'bomba biológica' que infetou vários futebolistas do Valencia, entre os quais, o ex-Benfica Garay]. Não sei se o Valencia é apenas um parêntesis na minha vida na Roma [está emprestado pelos romanos, treiandos por Paulo Fonseca]. Este virus ensinou-me a viver o dia-a-dia, a apreciar o que tenho. Só quero pensar no presente, não posso dizer o que farei no próximo ano, se volto, para onde vou, etc. Obviamente, quero acabar aqui a temporada, tentando cumprir os objetivos e depois ir de férias. Vou enfrentar tudo sem problemas, realizei o sonho de ser capitão da Roma, agora gostava de ganhar alguma coisa importante.”

"Sempre pensei ter uma experiência no estrangeiro. Essa possibilidade apareceu em janeiro [empréstimo], depois de ter falado com Fonseca, que me disse o que pensava e juntos tomámos esta decisão. Também liguei a Mancini [selecionador de Itália] e ele explicou-me que não interessava onde ia jogar, desde que jogasse.

"O Fonseca é um dos melhores treinadores que já tive, futebolisticamente falando. Está no seu direito achar que eu não sirvo. Dito isto, tenho uma grande relação com ele. Disse-me que não podia garantir-me muito espaço na equipa."