Tribuna Expresso

Perfil

Coronavírus

“Chamo-me Emmanuel Sheyi Adebayor e não vou dar dinheiro para a Covid-19. Faço o que quero e como quero, é muito simples”

O avançado togolês, que passou, entre outros, pelo Arsenal, Tottenham, City ou Real Madrid e agora está no Olímpia, do Paraguai, tem uma posição radicalmente diferente de outros futebolistas

Tribuna Expresso

PHILIPPE HUGUEN

Partilhar

Emmanuel Adebayor, antigo jogador do Mónaco, Arsenal, City, Tottenham e também do Real Madrid, está a cumprir o isolamento em Lomé, no Togo, de onde é natural. O que não é natural, por outro lado, é a sua reação, digamos, pouco solidária no âmbito do combate ao novo coronavírus.

"Para todos aqueles que dizem que não vou doar dinheiro, vou ser muito claro: não vou doar. É muito simples. Faço o que quero e como quero", disse Adebayor. "Depois, claro, há sempre pessoas que vão dizer que não fiz uma doação em Lomé".

Adebayor, por estes dias, é jogador do Olímpia, equipa do Paraguai. E, para regressar a casa e cumprir 15 dias de quarentena, o poderoso avançado de 36 anos teve de fazer escalas em França e no Benin, escreve o "AS". "Algumas pessoas pensam que fui eu a introduzir o vírus em Lomé. É muito triste que pensem assim, mas este país é assim. Podem comparar-me com o Eto'o ou com o Drogba, mas eu infelizmente não sou um deles. Sou Emmanuel Sheyi Adebayor e vou fazer sempre o que quiser".