Tribuna Expresso

Perfil

Coronavírus

Jogadores testados duas vezes à covid-19 se intervalo entre jogos exceder cinco dias

De acordo com a Liga, o teste deve ser feito "o mais próximo possível do jogo, não podendo, em nenhuma circunstância, ser realizado com mais de 24 horas de antecedência"

tribuna expresso e lusa

Partilhar

Os jogadores da I Liga portuguesa de futebol vão ser testados à covid-19 duas vezes se o intervalo entre duas partidas, das 10 jornadas que faltam, for superior a cinco dias, anunciou esta quarta-feira a Liga.

Em comunicado, a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) detalha que foi esta quarta-feira informada pela Direção-Geral da Saúde, a par da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), que esta autoridade "admite, quando a periodicidade dos jogos não é superior a cinco dias, a realização de um teste laboratorial como forma precoce de identificar casos positivos" de covid-19.

Esse teste deve ser feito "o mais próximo possível do jogo", e nunca com mais de 24 horas de antecedência, e no caso de passarem mais de cinco dias desde o último jogo, "deve ser dado cumprimento ao parecer técnico da DGS de 10 de maio e realizados dois testes laboratoriais".

A I Liga vai ser reatada sob fortes restrições e sem público nos estádios em 3 de junho, com o encontro entre Portimonense e Gil Vicente, naquele que vai ser o primeiro dos 90 jogos das últimas 10 jornadas, até 26 de julho

Após 24 jornadas, o FC Porto lidera a competição, com 60 pontos, mais um do que o campeão Benfica.

Além do principal escalão, também a final da Taça de Portugal, entre Benfica e FC Porto, integra o plano de desconfinamento face à pandemia de covid-19, ainda em data e local a designar.

Em Portugal, morreram 1.356 pessoas das 31.292 confirmadas como infetadas, e há 18.349 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde

Árbitros, treinadores e jogadores: a história dos atores que afinal são meros figurantes

"O futebol profissional português vai regressar e vai regressar sem ter ouvido a voz de quem lhe dá corpo e alma. A voz de quem lhe dá vida e cor: jogadores, treinadores e árbitros", lamenta Duarte Gomes