Tribuna Expresso

Perfil

Coronavírus

Brendan Rodgers teve covid-19 e a sensação não foi boa: "Mal conseguia andar, lembrei-me do que tinha sentido quando escalei o Kilimanjaro"

O treinador do Leicester contraiu a covid-19 no início da paragem da Premier League e os efeitos da doença foram fortes

lusa

Jason Cairnduff

Partilhar

Brendan Rodgers, treinador do Leicester, disse esta sexta-feira em entrevista à BBC que contraiu covid-19 no início da paragem da Premier League de futebol e que passou por grandes dificuldades para conseguir andar e mesmo respirar.

"Mal conseguia andar, lembrei-me do que tinha sentido quando escalei o Kilimanjaro", afirmou o treinador da equipa que segue no terceiro lugar do campeonato inglês de futebol.

Rodgers escalou o Kilimanjaro, montanha mais alta de África, com 5.865 metros, em 2011, integrado numa missão de caridade. "Quanto mais se subia, mais se sofria para se aclimatar e mais difícil era respirar", recorda.

Logo que o campeonato parou, e poucos dias depois do treinador do Arsenal, Mikel Arteta, ter dado positivo, Rodgers manifestou os primeiros sintomas.

A paragem deu-se a 13 de março, um dia antes de o Leicester dever jogar contra o Watford, e logo nesses dias que se seguiram o técnico começou a sentir-se "muito mal".

"Durante três semanas não tive nem olfato nem paladar. Estava sem forças e a minha mulher também ficou assim", explicou o treinador. "Ambos fomos testados e em ambos o vírus foi detetado".

"A primeira vez que tentei correr, depois disso, era difícil fazer dez jardas [cerca de nove metros] que fosse", recordou Rodgers, agora totalmente recuperado e considerado curado, após três testes negativos.

A Premier League anunciou na quinta-feira que o campeonato regressa a 17 de junho, com a disputa de dois jogos em atraso. O Leicester segue em terceiro, atrás de Liverpool e Manchester City, a nove jornadas do fim.