Tribuna Expresso

Perfil

Coronavírus

Se a Serie A não for terminada, haverá um algoritmo para determinar a classificação final

A FIGC aprovou planos para a realização de um 'play-off' ou o uso de um algoritmo se a temporada regular de 2019/20 não puder ser concluída

Lusa

Daniele Badolato - Juventus FC/Getty

Partilhar

A I Liga italiana de futebol pode terminar sem haver um campeão se for interrompida novamente por causa da pandemia do novo coronavírus, anunciou esta segunda-feira a Federação Italiana de Futebol (FIGC).

A FIGC aprovou esta segunda-feira planos para a realização de um 'play-off' ou o uso de um algoritmo se a temporada regular não puder ser concluída, enquanto os clubes da Serie A decidiram pedir que não haja campeões ou descidas de divisão.

Os últimos planos propostos pelo presidente da FIGC, Gabriele Gravina, foram aprovados por unanimidade, sendo que três dos clubes da Série A, que está suspensa desde 9 de março e programada para ser retomada a 20 de junho, não participaram da votação.

Os 'play-off' são a opção preferida, mas um algoritmo será usado para determinar a classificação final se os jogos não puderem ser realizados devido a restrições de tempo ou ao agravamento da pandemia, não podendo haver um campeão, a não ser que o algoritmo seja suficientemente preciso a calcular o provável vencedor.

A contagem da pontuação final de cada equipa será calculada com base na média de pontos nos jogos em casa e fora de casa, multiplicada pelo número restante de jogos em casa e fora de casa, somados aos pontos já conquistados.

Entretanto, a FIGC fez saber que se uma equipa violar o rigoroso protocolo médico estabelecido para retomar a competição sofrerá sanções que variam entre a multa a serem excluídas do campeonato, em função da gravidade da infração.

Faltam ainda disputar 12 jornadas da Serie A, além de quatro partidas adiadas da 25.ª jornada, e se a época não puder ser reiniciada a 20 de junho, a FIGC terá até 10 de julho para decidir se a mesma poderá sê-lo.

A Juventus, onde alinha o português Cristino Ronaldo e que busca a conquista do seu nono título consecutivo, tem uma vantagem de um ponto sobre a Lazio e nove sobre o Inter de Milão, terceiro classificado, que tem menos um jogo.

As duas principais Ligas masculinas serão as únicas a serem retomadas, visto que foi hoje decidido cancelar a Serie A feminina.

Uma dupla de sucesso, das pastelarias na Margem Sul ao futebol de alto nível na Roma: “O Paulo tem uma paciência de santo para me aturar”

Nuno Campos é adjunto de Paulo Fonseca há 15 anos, desde o tempo em que ambos tinham pastelarias na Margem Sul para ganhar a vida, enquanto treinavam nas divisões inferiores, e largaram tudo por uma paixão comum: "O Paulo dividiu comigo o salário que lhe ofereceram e passámos os dois a ganhar pouco, mas felizes por estarmos a trabalhar juntos num campeonato profissional." Em longa entrevista à <strong>Tribuna Expresso</strong>, o treinador adjunto da Roma, que confessa ser "um chato", recorda a carreira de uma dupla inseparável, que aprendeu com as dificuldades no FC Porto, usando-as para ganhar praticamente tudo no Shakhtar Donetsk, antes de chegar a Itália, onde o campeonato apresenta novos problemas táticos, mas a paixão se mantém a mesma: "Quando vamos jantar fora, já nos aconteceu vir à mesa o dono do restaurante pedir para falarmos mais baixo, porque as pessoas à volta ficam incomodadas. Porque, quando há conversa de futebol, há discussão"