Tribuna Expresso

Perfil

  • La vie en bleu

    Crónica

    Com os alemães afastados logo na primeira fase do campeonato, o futebol continuou a ser onze contra onze e no fim ganharam… os franceses. Crónica da grande final, vivida num jardim de Lisboa por um adepto português dos azuis, entre outros portugueses que pareciam ser croatas desde pequeninos

  • Spasiba, Sochi

    Mundial 2018

    Neste espaço encontrará crónicas do quotidiano de uma portuguesa radicada à condição na Rússia para efeitos do Mundial 2018. Esperam-se algumas dificuldades comunicacionais e extravagâncias locais

  • Foi chato, Bruno?

    Crónica

    “Foi chato ver os familiares dos jogadores ligarem preocupados, o staff, os meus próprios pais, a minha mulher, as minhas filhas”, disse Bruno de Carvalho após as agressões em Alcochete. Chato? Crónica de Pedro Candeias

  • Em defesa de um futebol politeísta

    Crónica

    Bruno Vieira Amaral escreve sobre o homem que fez “com que as proezas de Messi e Ronaldo parecessem arcaicas”. “Não me interpretem mal. Continuam a ser fabulosas, mas também são como os filmes clássicos: já as vimos tantas vezes que não nos importamos de adormecer a meio”. Por isso, em dia de Roma-Liverpool, “apetece festejar com Salah e entronizá-lo”

  • A foto que destruiu o mito Rui Vitória

    Crónica

    Durante algum tempo, muito tempo, disse-se que Rui Vitória poderia ter poderes extrassensoriais, tal as vezes em que foi salvo em lances que atribuímos à sorte. O jogo com o FC Porto deitou essa teoria ao chão quando o disparo de Herrera voou até Varela

  • Hermoso Herrera ou uma história de fantasmas

    Crónica

    Numa crónica em que fala de amuletos mexicanos, luzes que projetam sombras nas paredes da Luz, caça-fantasmas, “estratégias especulativas” e “convívios agridoces”, o escritor Bruno Vieira Amaral analisa a vitória do Futebol Clube do Porto sobre o Benfica - o regresso de um velho fantasma que veste de azul e branco e tem resistido a todos os exorcistas

  • Hermoso Herrera ou uma história de fantasmas

    Crónica

    Numa crónica em que fala de amuletos mexicanos, luzes que projetam sombras nas paredes da Luz, caça-fantasmas, “estratégias especulativas” e “convívios agridoces”, o escritor Bruno Vieira Amaral analisa a vitória do Futebol Clube do Porto sobre o Benfica - o regresso de um velho fantasma que veste de azul e branco e tem resistido a todos os exorcistas

  • Amor em tempos de cólera. Por Pedro Boucherie Mendes

    Crónica

    Reconhecendo que Bruno de Carvalho “exagerou e muitas vezes foi vulgar na linguagem”, Pedro Boucherie Mendes defende que “ninguém como ele lutou pelo clube”. E, dizendo que em Portugal “quem sai da norma é detetado e identificado para ser abatido”, afirma que o Presidente do Sporting o foi por um único motivo: não ter sido campeão num clube que venceu dois campeonatos em 35 anos e não se consolar com essa ideia, contagiando milhões de outros sportinguistas e hostilizando os poderes instalados

  • “A saída de Bruno de Carvalho não vai ser pacífica porque ele ignora o que muitos megalómanos ignoram.” Por Daniel Oliveira

    Crónica

    Ainda antes de Bruno de Carvalho se ter tornado o vulcão do Facebook, Daniel Oliveira explica um encontro com o presidente do Sporting no qual descobriu um homem provido de particular “inteligência social”. Agora, perante o “desequilíbrio emocional crescente” de Bruno de Carvalho, Daniel Oliveira diz que chegou a hora de lhe mostrar gratidão mas também de preparar a despedida. E esta crónica começa com uma pergunta: “Como é que o que parece tão aberrante a tanta gente, pela sua falta de educação evidente, conquista cerca de 90% dos votos?”