Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Crónica

Isto é sobre o Moreirense - Sporting: a unha do dedo ou uma trança podem fazer a diferença entre o golo anulado ou validado? Sim, mas...

A FIFA está a testar uma tecnologia de rastreamento que tem o potencial de tomar decisões instantâneas e infalíveis sobre foras de jogo, tornando obsoleto o atual sistema de linhas, utilizado em várias competições. O primeiro teste foi no Mundial de Clubes (no Qatar) e a nova arma tecnológica usa inteligência artificial para rastrear movimentos dos jogadores, identificando o momento exato em que um passe é feito

Duarte Gomes

Octavio Passos

Partilhar

No futebol moderno, a unha de um dedo ou a trança no cabelo podem fazer a diferença entre um golo ser validado ou anulado. Parece loucura mas não é. É apenas um dos danos colaterais da tecnologia que hoje é usada para aferir os fora de jogo.

A medição - calibrada em sala pelo homem (técnico de imagem, segundo instruções do VAR) - é implacável: por milímetros se marca, por milímetros se sofre.

Para quem está deste lado, a apreciar o espetáculo, a mera constatação de que decisões tão importantes baseiam-se agora em premissas tão ínfimas é demasiado frustrante.

Não se iluda quem pense que esta é uma realidade exclusivamente nacional. Não é. Lances iguais aos de Pedro Gonçalves em Moreira de Cónegos e de tantos outros antes desse, já aconteceram um pouco por todo o lado. Não faltam por aí exemplos de golos marcados ou invalidados por 1 centímetro. Um centímetro!

Artigo Exclusivo para assinantes

No Expresso valorizamos o jornalismo livre e independente

Já é assinante?
Comprou o Expresso? Insira o código presente na Revista E para continuar a ler