Tribuna Expresso

Perfil

Crónica
Philipp Lahm

Philipp Lahm

Antigo campeão do Mundo de futebo

O que faz de Pep Guardiola a referência de ouro do futebol mundial?

Três das últimas quatro épocas da carreira do antigo campeão mundial pela Alemanha foram passadas com Pep Guardiola, no Bayern de Munique. Nesta sua crónica, Philipp Lahm descreve as valias e a pegada que o treinador deixa nas suas equipas com base na experiência que teve com o espanhol, a quem atribuiu uma "paixão que nunca [viu] em mais ninguém" a "ajustar as tarefas e o papel de cada jogador"

Philipp Lahm

sampics/Corbis via Getty Images

Partilhar

Lembro-me muito de Pep Guardiola. "Em jogos importantes", disse-me, "só escolho os meus onze melhores". Temos de ouvir com atenção, esta frase contém a essência do futebol: Qualidade individual. O Guardiola é um treinador de topo, adora as habilidades e o talento dos seus jogadores.

Alguns treinadores procuram reduzir a complexidade do futebol. Guardiola, porém, quer dominá-la. Podemos comparar o seu trabalho ao de um Grande Mestre do xadrez ou de um maestro de uma orquestra que retira o melhor de cada instrumento. A única diferença é que um conjunto de futebol não joga de acordo com as notas musicais estipuladas e os movimentos de um futebolista são mais variáveis do que os seguidos pela torre e pelo cavalo. Não é tão fácil reconhecer o que alguém está a fazer e pode fazer em campo. Também é difícil descrever.

Artigo Exclusivo para assinantes

No Expresso valorizamos o jornalismo livre e independente

Já é assinante?
Comprou o Expresso? Insira o código presente na Revista E para continuar a ler