Tribuna Expresso

Perfil

  • É favor evitar títulos com traumatismo, caro Portugal

    Diário

    Vem aí o Euro mais extravagante, o das 12 cidades, e será a viajar pela Europa que Portugal terá de defender o seu título, conquistado há quase três anos com uma série de empates, prolongamentos e penáltis a desempatar, e o tal pontapé de um anti-herói a carregar confiança sobre-humana e, provavelmente, o recalcamento dos desejos frustrados de 2004, mas também de 1984, 2000, 2012. Antes, porém, há uma fase de qualificação para vencer, que começa já com embates na Luz frente a Ucrânia (primeiro) e Sérvia (depois). Luís Mateus analisa o adversário do embate inicial

  • Como é que me perdoo?

    Diário

    Florenzi chorou intensamente depois de cometer um penálti desnecessário contra o FC Porto em noite de Liga dos Campeões, numa falta que custou a eliminação da Roma. Paulo Madeira, Tuck e Jorge Silvério ajudam-nos a perceber a anatomia do erro e a maneira de derrotar o sentimento de culpa

  • Como Lage ganhou o clássico: a análise definitiva

    Diário

    Bruno Lage começou por ganhar os jogadores, depois os adeptos e Luís Filipe Vieira e pode ter vencido no Dragão o primeiro troféu. Faltam-lhe dez finais, tem o conforto de poder empatar uma delas e conseguiu aquilo que muitos achavam impossível: uma recuperação épica com uma equipa que estava muito fragilizada. Frente ao campeão, no estádio do campeão em título, e que até teve a renovação de Sérgio Conceição a aportar um estado ainda mais emocional - de confiança - ao lado portista do clássico, fez vingar as suas ideias. Luís Mateus explica-lhe como

  • Como duas canções explicam quase tudo sobre o FC Porto-Benfica

    Diário

    Dois clássicos do futebol e um Festival da Canção entram num bar. É sábado à noite e vai ser preciso sincronizar os relógios para não perder pitada da muita ação que nos será oferecida via televisão. Enquanto em Portimão se escolherá o representante de Portugal no Festival Eurovisão da Canção (RTP1, 21h), no Estádio do Dragão arrumam-se as peças para o ataque ao título na Liga Portuguesa (Sport TV, 20h30). E tudo isto precedido por uma espreitadela a Madrid, onde Real e Barcelona se voltam a encontrar (Eleven Sports 1, 19h45), agora com o foco em LaLiga

  • Macarena Sánchez só quer jogar à bola, mas foi ameaçada de morte

    Diário

    Macarena Sánchez quer revolucionar o futebol feminino na Argentina e, por isso, tem sido ameaçada de morte nas últimas semanas. Exige o estatuto de futebolista profissional e quer diminuir a distância nos direitos entre homens e mulheres. Confessa que vive para jogar à bola, um desporto que lhe “ensina muito mais da vida do que de futebol”

  • Duas ou três coisas sobre contas-poupança (hoje sem Pedro Andersson mas com Luís Cristóvão)

    Liga Europa

    O Expresso Diário, que muito orgulhosamente publica à segunda-feira as Dicas de Poupança que Pedro Andersson também explica na SIC mas aí sob o nome Contas-Poupança, apresenta nesta edição uma variação com menos economia de bolso e mais economia de plantéis: Galatasaray-Benfica (quinta-feira, 20h, Sport TV) e Sporting-Villarreal (quinta-feira, 20h, SIC) são o motivo da reflexão e Luís Cristóvão explica quem não iremos ver jogar e porquê neste regresso da Liga Europa

  • Bruno Vieira Amaral escolhe o sucessor de Vitória (um alemão) e faz um pedido a Vieira: “Não confie tanto na iluminação pública da zona do Seixal”

    Diário

    Numa crónica dura, lúcida e com autocitações (o autor haverá de pedir perdão por isso), o escritor Bruno Vieira Amaral explica como um homem pode ser tão pouco amado e enigmático: “Rui Vitória falava como alguém que parecia não saber nada do que estava a dizer. Se era estratégia, era de génio. Se não era estratégia, era de quadrúpede”. Vem aí uma grande leitura