Tribuna Expresso

Perfil

Diário

“Partimos-te a cara toda”. O que revelaram Rui Patrício e Jorge Jesus à GNR sobre o ataque de Alcochete

O guarda-redes internacional e o treinador do Flamengo vão ser ouvidos no Tribunal de Monsanto, por videoconferência, esta segunda e terça-feira. Irão recordar a invasão da Academia leonina cometida por adeptos da Juventude Leonina. Depoimentos podem abrir novas pistas sobre o caso

Hugo Franco

O guarda-redes Rui Patrício e o treinador Jorge Jesus serão dois testemunhos importantes no julgamento do caso de Alcochete

Carlos Palma/NurPhoto via Getty Images

Partilhar

Na noite de 15 de maio de 2018, ainda na ressaca do ataque de adeptos da Juventude Leonina à Academia do Sporting, Rui Patrício e Jorge Jesus testemunharam no posto territorial da GNR de Alcochete, tal como aconteceu com a restante equipa. Na próxima segunda e terça-feira, Rui Patrício e Jorge Jesus vão ser ouvidos por videoconferência pela juíza Sílvia Pires, agora no julgamento do caso, que decorre no Tribunal de Monsanto. Depoimentos que podem vir a abrir novas pistas sobre o caso.

O guarda-redes, que rescindiu o contrato com o clube leonino e joga atualmente no Wolverhampton, no Reino Unido, contou há um ano e meio aos militares da GNR que foi ameaçado verbalmente mas que não chegou a ser agredido. “Queres ir embora filho da p…”, “Partimos-te a boca toda”, foram expressões que afiança ter ouvido dos atacantes no interior do balneário. Estes, de acordo com Rui Patrício, ainda o agarraram, tentando arrastá-lo do local. Só não conseguiram fazê-lo porque teve a ajuda de colegas de equipa.

Para ler o artigo na íntegra clique AQUI