Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Diário

A offshore de André Geraldes nas Seicheles. Para onde foi parar o dinheiro que o dono do Portimonense autorizou transferir?

O empresário Teo Panagopoulos ordenou transferência para André Geraldes quando este era diretor do Sporting. Estes factos constam em documentos analisados pelo Expresso numa investigação que cruzou as fugas de informação dos Pandora Papers, coordenada pelo Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ), e dos Football Leaks

Micael Pereira e Miguel Prado

André Geraldes é atualmente presidente da SAD do Estrela da Amadora

RUI FARINHA/LUSA

Partilhar

Em fevereiro de 2018 o dono do Portimonense, Teo Panagopoulos, deu uma ordem de transferência de €250 mil para uma conta de um banco em Puerto Rico controlada através de uma companhia offshore nas Seicheles por André Geraldes, então diretor desportivo do Sporting e atual presidente do Estrela da Amadora. Estes factos constam em documentos analisados pelo Expresso numa investigação que cruzou as fugas de informação dos Pandora Papers, coordenada pelo Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ), e dos Football Leaks, obtida pela revista alemã “Der Spiegel” e partilhada com a rede EIC (European Investigative Collaborations), de que o Expresso faz parte.

André Geraldes foi identificado nos Pandora Papers como o beneficiário da Market Pool Limited, uma companhia offshore registada nas Seicheles. De acordo com os ficheiros encontrados, esta companhia foi registada em janeiro de 2018 por um escritório especializado neste género de serviços, a SFM, no Dubai. Nos documentos constam ainda referências a contas abertas em Cabo Verde e em Vanuatu.