Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Faro

Rúben Marquises, marotices embaraçosas no Tinder, um professor de EVT e o sósia do Calado (Diogo Faro explica as eleições no Sporting)

Diogo Faro resume as caraterísticas de cada um dos seis candidatos à presidência do Sporting - e ainda recorda um outro protagonista à mistura: "Se algum dia houver um desastre nuclear que destrua toda a vida da Terra, os únicos seres capazes de sobreviver são as baratas. E o Bruno de Carvalho"

Diogo Faro

A campanha de José Maria Ricciardi apostou nas redes sociais - incluindo o Tinder - para chegar aos adeptos

DR

Partilhar

As eleições no Sporting estão aí mesmo à porta, tal qual a PJ à porta do Benfica, e para esclarecer aqueles que ainda estão indecisos no seu voto, faço-vos aqui um apanhado das principais características de cada um dos candidatos.

FREDERICO VARANDAS

Tem ar e nome de beto, o que é bom para perpetuar o estereótipo elitista do sportinguista. É o nome cujo equivalente no Benfica seria Rúben Marquises, por exemplo, e logo por aí se nota a diferença de estatuto social. Além disso, já era o médico da equipa. Portanto, se ganhar, pode acumular as duas funções, mas escolher só um dos ordenados, poupando assim dinheiro ao clube. Tem outra vantagem: enquanto Presidente-médico, se algum jogador começar a disparatar com birras por causa de contratos ou coisas que o valham, sabe como sedá-lo.

JOÃO BENEDITO

No que diz respeito a nome, aparência e estudos, equipara-se a Varandas, ganhando apenas ligeiramente por ainda apostar no cabelo “cortina de beto”, que se achava perdido nos anos 90. O BE até chegou a formular uma proposta de lei há uns anos para se proibir este cabelo na sociedade portuguesa, mas foi chumbada. Mas ainda bem, porque é mais um ponto que separa este candidato da plebe. Afinal, “nós somos diferentes”.

Soma-se a isto ter sido o melhor guarda-redes de futsal de sempre do Sporting, mas na guerra que é o futebol português, alguém o avise que não é por andar sempre de coquilha que se vai safar.

JOSÉ MARIA RICCIARDI

O nome é só meio apelativo. José Maria continua a corresponder. Mas Ricciardi faz lembrar um pudim italiano feito com aguardente a mais e que já está fora do prazo. Daqueles que a nossa avó nos diria: “Ai, filho! Tiras o bolor e comes, parece que está novo!”. É verdade, o Ricciardi, pela sua campanha moderna, dinâmica e empreendedora, está claramente a ser muito jovem. Os vídeos que grava parece que têm bolor, é um facto, como se tivessem sido gravados logo em VHS e sem edição nenhuma porque dá muito trabalho. Mas por outro lado, fez uma acção de campanha muito divertida que joga com o Tinder. Diz ele que também já está nesta rede social de dating e pergunta: “Dia 8 fazemos match?”. Seu maroto! Não é nada embaraçoso, nada. Ahah! Parem com isso, pessoal, a sério. É giro. E jovem. E dinâmico. Pronto.

DIAS FERREIRA

Sportinguista acérrimo, conhecido há anos por isso. Tem é ar de professor de EVT. Não vos sei bem explicar, mas a cada entrevista dele eu estou à espera que ele comece a desbaratar para cima dos alunos que se esqueceram de levar o esquadro e o transferidor. Mas isto também sou eu que sou míope.

Apresentou como team manager o jogador de golfe Ricardo. Eu entendo que seja excelente para tapar buracos, mas se entretanto o Luisão vai para team manager do Benfica, já sabemos quem é que sai por cima.

TAVARES PEREIRA

Vê-se que é um senhor bom, provavelmente demasiado bom para o futebol. A questão é que a última grande entrevista que deu foi no Santuário de Fátima, porque pelos vistos é a Nossa Senhora que lhe rege a vida. Eu percebo que seja uma ideia bonita, mas estando nós em 2018, e não em 1618, será que é mesmo ficar à espera de milagres o que queremos para o nosso Sporting? É que o Sporting é muito eclético, sim senhor, mas não tem modalidades como “100 metros joelhos”, “lançamento da vela” ou “concurso de cuspimento de hóstia”.

RUI REGO

Já todos reparámos que ele é o Calado daqui a 10 anos, certo? Eu sei que quem vê caras não vê melões - ou corações, não me lembro como é o ditado ao certo -, mas não sei se aquele semblante, que de alguma maneira soa a lampião, convence.

Agora, que tem um reforço de peso na equipa, isso ninguém lhe tira. Foi buscar um dos melhores laterais esquerdos do mundo da história do futebol para team manager (director para o futebol, mas agora a malta acha super cool dizer tudo in english) Roberto Carlos. A ideia é excelente, mas ganhava mais votos se o tivesse anunciado, mesmo com esta idade, para o lugar do Jefferson.

BRUNO DE CARVALHO

Se algum dia houver um desastre nuclear que destrua toda a vida da Terra, os únicos seres capazes de sobreviver são as baratas. E o Bruno de Carvalho. Há que lhe dar mérito, não há nada que mande o homem abaixo. Mas verdade seja dita, também nunca se viu numa situação em que estivesse de cuecas num balneário a tentar defender-se de 50 gandins.

Mesmo que não se tenha conseguido candidatar, Bruno de Carvalho tentou entrar em Alvalade a dizer que era ainda presidente com uma carta que apanhou do chão a caminho de lá; mais recentemente, soube-se que está a fazer tudo o que pode para impugnar as eleições, e já só falta barricar-se dentro de uma casa de banho do estádio e mudar o nome para Bruno Subtil.

Apesar de tudo, não me posso deixar de relacionar com o Bruno, é assim que reajo quando o segurança do Lux me vem dizer que já fechou e que tenho mesmo que sair.