Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Faro

Diogo Faro espera que Gudelj volte ao futebol em breve porque esta noite em Braga foi mais kickboxing e krav maga

O nosso cronista das andanças sportinguistas compreende a confusão do sérvio: chegou há pouco tempo a Portugal e portanto ainda tem dificuldade em se situar, assim que o mais certo é ter pensado que estava no Multiusos de Alvalade e não no estádio do Sp. Braga

Diogo Faro

HUGO DELGADO/LUSA

Partilhar

SALIN

Não tivesse sido o caso de o Tribunal da Relação do Porto ter desculpado uma violação com a justificação de “sedução mútua”, e o Salin ter perdido este jogo teria sido a coisa mais injusta destes últimos dias.

RISTOVSKI

Foi pena hoje ter jogado pelo Braga. Parecendo que não, dá bastante mais jeito quando joga por nós. E atenção que o nosso moldavo até costuma jogar muito bem de verde e branco, mas hoje aquela assistência para os senhores que nos queriam ganhar não nos deu jeito nenhum. Tanto que ganharam mesmo. E agora estou a escrever esta crónica a dar socos ao teclado em vez de usar a ponta dos dedos.

COATES

No lar de pessoas de idade que foi a defesa do Sporting hoje, foi aquele que a meio da tarde, lá para a hora do lanche, ainda tenta acordar a casa com um cheirinho de bagaço no chá do lanche. E embora tenha tremido também, não chegou o bagaço para não perdermos.

ANDRÉ PINTO

O que mais me ficou na memória neste jogo do André Pinto foi aquela vez em que um dos senhores do Braga foi para cima dele, e os seus joelhos tremeram tanto que o próprio Frederico Varandas telefonou a um colega especialista em Parkinson para ir ver o que se passava.

ACUÑA

Dois destaques para o jogo do Acuña:

- Mãos atrás das costas a falar com o árbitro, aquele pormenor de educação, mesmo quando estás a verbalizar insultos em catadupa, que vem nos livros da Paula Bobone.

- Vários cruzamentos contra os defesas do Braga. Teriam sido excelentes se valesse pontos acertar em pessoas.

GUDELJ

Chegou há pouco tempo a Portugal, e portanto ainda tem dificuldade em se situar, conhece pouca coisa. Achou que em vez de estar no estádio do Braga estava no Multiusos do Sporting e apostou mais nas modalidades de kickboxing e krav maga. Vamos esperar que volte ao futebol no próximo jogo.

BATTAGLIA

Visto que durante os 90 minutos não foi fez propriamente um jogo lúcido, tenho de destacar aqui a entrevista que deu no final do jogo na flash interview. Admirável a contenção de que foi capaz para não dar uma cabeçada no jornalista da Sport TV. Não que este tivesse culpa, mas a raiva de ter perdido estava ali a ser cuspida por todos os espacinhos entre os dentes. Agora é fazer isso em campo porque hoje não chegou.

RAPHINHA

Umas horas antes do jogo vi uma story dele que mostrava no Instagram que estava a ver uma série qualquer na Netflix. Deve ter sido o Black Mirror, para eu achar que o que estava a acontecer era impossível mesmo sabendo que era uma realidade tão próxima.

BRUNO FERNANDES

Foi perigoso o jogo todo. Na primeira parte, foi um perigo para a saúde dos adversários, tal foi a quantidade de vezes que usou as pernas da mesma maneira que os mafiosos usam tacos para partir rótulas dos inocentes que se recusam a ser vítimas de extorsão. Na segunda parte, percebeu – e bem – que mais valia que o perigo fosse para a baliza do Braga, mas se felizmente na primeira na foi bem sucedido, infelizmente também não o foi na segunda.

NANI

Teve ali um cabeceamento perigoso a responder a um cruzamento do Bruno Fernandes. De resto, respondeu ao resto do jogo como eu respondia aos testes de filosofia, sempre evasivo e sem grandes conclusões. Mas eu sempre acabava com melhor nota.

MONTERO

Montero faz um excelente remate à figura aos 45 e um bom cruzamento aos 70. Depois fez mais coisas, mas de relevante só mesmo tomar banho, vestir-se e voltar para o autocarro.

CASTAIGNIOS

É um bocado como os extraterrestres. Ninguém tem a certeza se existe.

JOVANE

Ainda não houve um jogo em que ele não jogasse bem. Entra sempre (ou começa) com aquela vontade de adolescente. Ainda agarrou lá na bola e tentou fintar todos e metê-la lá dentro, mas tal como todos os adolescentes, foi mais a vontade do que a pontaria.

DIABY

Entrou bem, aqueles 7 segundos. Eu bem queria escrever mais sobre ele, mas a jogar só dois minutos por jogo fica complicado.