Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Faro

Ristovski levou um massacre tão grande de Nakajima que o pode passar a tratar por Hiroshima. Ou tsunami, para os restantes (por Diogo Faro)

Diogo Faro repete e reitera o uso da palavra tsunami, fora analogias a coisas como caravelas a irem ao fundo, bacias deslocadas, sardinhas a tentarem nadar contra ondas gigantes devido ao pequeno japonês que aniquilou o Sporting em Portimão

Diogo Faro

LUIS FORRA

Partilhar

Salin e Renan Ribeiro

A partilha é das coisas mais bonitas no mundo, e para não ser só um deles a encaixar quatro, distribuíram dois golos para cada um e assim não custa tanto. Comovente.

Ristovski

Durante o jogo todo, levou um massacre tão grande do japonês Nakajima que a partir de hoje o pode passar a tratar por Hiroshima.

Coates

Nem aquele que costuma ser o farol da nossa defesa se aguentou. Nunca vira a cara à luta e até marcou um golinho que nos deu alguma esperança, mas contra aquela mistura de tsunami japonês com tempestade colombiana, o robusto farol pareceu mais frágil que a ambição do Peseiro.

André Pinto

Grande mestria e consistência durante todo o jogo ao deixar o Jackson Martínez sempre sozinho e a jogar à vontade. Ficou-lhe bem a atitude, visto que o colega de profissão voltou hoje a ser titular mais de um ano depois da sua paragem. Admiro-me é como, no meio de tanta abnegação, não deslocou a bacia com a quantidade de vezes que se torceu todo à procurar a bola.

Acuña

Arrancada épica de uma ponta à outra do campo que resultou no primeiro golo, verdade seja dita. Mas foi solidário com todos os seus colegas de defesa e achou por bem também parecer uma sardinha a tentar nadar no tsunami. Espírito de equipa também é saber sofrer com os colegas.

Battaglia

Se fosse multado por cada vez que perde a bola, só com este jogo tinha ficado sem ordenado até Janeiro. Por favor, volta ao normal já no próximo jogo.

Gudelj

Teve ali um bom remate que passou a escassos 20 metros da baliza, e mais um lance em que confundiu a baliza com a cara do guarda-redes do Portimonense. Para efeitos de comédia, foi giro. Para efeitos de dar jeito ao Sporting é que foi parco.

Bruno Fernandes

Na segunda parte foi Camões naufragado no tsunami a tentar salvar a obra e indicar o caminho. Salvou uns cantos, fez uns remates e tentou juntar os estilhaços da caravela Sporting que ia ao fundo, mas também morreu na praia como todos.

Raphinha

Estava aqui à procura de palavras para descrever o seu desempenho no jogo de hoje, mas não as encontro. Nem ao desempenho dele.

Jovane

O rapaz é uma força da natureza e tentou a todo o custo manter-se à tona, mas a genialidade de pés hoje só houve dos do japonês.

Montero

Visto que aquele golo – que também era impossível falhar – não chegou para me animar, espero agora que pelo menos nos faça uma surpresa e se junte ao compatriota Jackson Martínez para cantar com ele no seu próximo álbum de música cristã.

Nani

Foi capitão sem braçadeira e a sua vontade e entrega fizeram com que não levássemos 4 secos do Portimonense. Bem sei que os pontos que ganhávamos eram os mesmo do que ficando 4-2, mas nunca mais teria coragem de ir jantar sardinhas a Portimão.

Diaby

Voltou àqueles 7 segundos em campo a que o Peseiro nos tem habituado.