Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Faro

Uma estátua para Bas Dost, tranças para Coates e um replay para Acuña (os pedidos de Diogo Faro)

O humorista viu o jogo na terra de Mathieu e de lá viu alguns pormenores curiosos como a receção de Acuña

Diogo Faro

PATRICIA DE MELO MOREIRA

Partilhar

RENAN RIBEIRO

Olhem-me o Domingo deste homem! Sai do quentinho de casa para ir trabalhar ao frio e à chuva, está para ali sem absolutamente nada para fazer durante 80 minutos, até que vê a bola a ir num remate incrível para a baliza, e só se estica mesmo para o patrão ver que ele foi trabalhar, sabendo que não tinha hipótese nenhuma. Espera mais 15 minutos sem fazer nada e vai para casa. E depois admiramo-nos porque é que é há tão pouca gente a querer ir para guarda-redes.

BRUNO GASPAR

O que mais bem me lembro do seu jogo foi a parte em que esteve no chão muito aflito agarrado aos ossos, como a minha avó sempre que sobe um lanço de escadas. De resto, não vi grande coisa. Mas como o jogo teve a qualidade futebolística de um ganso morto, digamos que esteve dentro da média.

COATES

Se o tédio fizesse crescer a pilosidade facial, tinha acabado o jogo, não só com a barba completa, como provavelmente ainda a tinha em tranças até ao umbigo. Fez para lá um corte ou outro, mas o resto do tempo foi mais estar a pensar no que vai comer amanhã ao pequeno-almoço.

MATHIEU

Escrevo-vos esta crónica aqui do país dele, França. Um país fascinante ao qual já vim várias vezes e a partes diferentes. Queijo, vinho, ostras, monumentos, arte, tanta coisa sobre a qual eu podia falar. Já do jogo do Mathieu, quase nada, visto que ele não teve que fazer também praticamente nada. Viva a qualidade do futebol em Portugal.

ACUÑA

Há poucas dúvidas que é dos melhores jogadores da equipa. Mais do que tudo o que correu e lutou, mais do que o cruzamento certíssimo para o Bas Dost, foi a recepção de bola antes desse cruzamento. Se não repararam bem, vão ver. A bola vem alta, e com a classe de um bailarino de tango, o seu pé toca ao de leve na bola ainda no ar num movimento contínuo que a mete a rolar à sua frente. Por favor, vão rever a beleza daquela recepção.

GUDELJ

Foi bruto, como é seu apanágio, tanto a bater nos outros como a rematar. Rematou duas vezes completamente ao lado (ou cima) e só não acertou em alguém da Juve Leo porque não estava lá ninguém.

NANI

Uma arrancada aqui, uma desmarcação ali, um livre que ia acertando naquela senhora que está sempre de leão às costas lá em Alvalade e pouco mais.

MIGUEL LUÍS

Certinho, certinho. Recebe, passa, corta, mete, tira, corre, pára. Se lerem a última frase com o ritmo certo (ou certinho, como o Miguel Luís), fica uma coisa gira. E completamente inútil.

BRUNO FERNANDES

Disse um dos comentadores: “É digno de um bom remate”. Segundo o comentador, o Bruno merece ter um bom remate, portanto. Comentário espectacular. Mas já que estou a falar nos comentadores, aproveito para lhes deixar aqui um muito sentido abraço. A maneira como lhes custou que o Sporting tivesse ganho já me estava a causar ansiedade e tristeza. Pobres infelizes, festejaram tanto e depois ficaram estarrecidos com o segundo golo do Sporting. Espero que consigam dormir alguma coisa! Em relação ao Bruno, bons pormenores ali numa espécie de tiki-taka que resultaram em 2 ou 3 boas jogadas do Sporting. Das 4 que fez durante o jogo todo.

JOVANE

Dos melhorzinhos em campo, sempre com o seu registo que mistura força bruta, com qualidade técnica e velocidade. Fez todos os sprints que podia e sempre com objectividade. Digo-vos eu: se o Bruno de Carvalho tivesse metade da velocidade deste menino, não havia polícia que o apanhasse.

BAS DOST

66 jogos no campeonato português, 66 golos. Tenho pouco a acrescentar sobre o monstro de marcar golos que é o Bas Dost. Mas se calhar começamos a pensar onde é que lhe vamos erguer uma estátua ou a que rua é que vamos atribuir o seu nome.

DIABY

O grande destaque da sua entrada é que o jogo ficou rigorosamente na mesma. Igual, igual.

MONTERO

Não teve grande tempo, mas ainda lá sacou um canto só para dizer que fez alguma coisa.

MISIC

É daquelas substituições que só servem para irritar o Paulinho que fica com mais um equipamento para lavar sem grande razão para isso.