Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Faro

Diogo Faro, que quando viu Bas Dost no chão agarrado ao ombro começou aos berros: "Ó VARANDAS, ENTRA EM CAMPO, VAI AJUDAR O HOMEM!"

O nosso cronista também apreciou o ressalto de bola de Sebastian 'Le Bron James' Coates no lance do primeiro golo e o brasileiro semblante de Renan Ribeiro na hora de salvar o Sporting na 2.ª parte do encontro com o Rio Ave

Diogo Faro

HUGO DELGADO/LUSA

Partilhar

RENAN RIBEIRO

Ao contrário do que é a sua normalidade, tremeu ali dos pézinhos desde o início. Não sei se atou os atacadores das chuteiras já de luvas postas e aquilo ficou tudo mal, ou que outra razão poderá ter sido, mas aquele jogo de pés não estava famoso. Já o jogo de cara foi incrível. Grande defesa – e fundamental dada a altura do jogo – que quis fazer com seu brasileiro semblante para mostrar que é um guarda-redes polivalente.

BRUNO GASPAR

Um jogo assim-assim, aquele vai que não vai, aquele toca que não toca. E principalmente, um treme que treme quando tinha o Galeno ou o Coentrão pela frente.

COATES

Há ressaltos de bola àquela altura que nem o LeBron James lá chega. Mas chega o Coates. Saltou aí a uns 5 metros do chão, pegou com a mão e colou a bola no chão para marcar rapidamente o livre que deu no primeiro golo. Vantagens de ter um central com visão de jogo.

MATHIEU

Le roi de notre défense. Sério, imponente, autoritário e seguro. Fez um carrinho que, se estivéssemos de facto na Idade Média e ele tivesse acertado no jogador do Rio Ave, teria passado a ser aquele carrinho que leva os mortos. Vá lá, não acertou em ninguém e foi só um corte lindíssimo.

ACUÑA

Foi o protagonista do terceiro melhor lance de pé esquerdo do jogo. Houve o golo do Jovane, o golo do Rio Ave e o cruzamento do Acuña para o golo do Bas Dost. Aquele raça animal que lhe reconhecemos – e que tanto nos é útil – teve que ir descansar porque estava ali à distância de um “carajo” em voz alta de ir para a rua.

GUDELJ

Não sei se é da mudança de treinador que se está a fazer sentir, não sei se é de estar mais entrosado, não sei se é ter almoçado bem. Já dizia a outra senhora – “Ó menina, eu sei lá se é os chineses, se é o car****!”. Mas o facto é hoje tivemos médio defensivo. Bom jogo do Gudelj, ou Gudél, como diz o Freitas Lobo.

NANI

Cada vez mais capitão, cada vez mais jogador de equipa. Tem ali combinações com o Bruno Fernandes e o Wendel que são exactamente o oposto das combinações que fazemos quando encontramos alguém na rua que não vemos há imenso tempo: “ ‘bora combinar jantar um dia destes!”. Nunca acontece. Mas as do Nani, sim, porque ele faz acontecer e faz o Sporting jogar bem à bola.

WENDEL

E, de repente, já não imagino o Sporting sem o Wendel a titular. Se técnica e tacticamente ele já tem mostrado em todos os jogos, e cada vez, que está ali carregadinho de talento, hoje houve algo que provou que é craque. A quantidade de porrada que levou. Só os craques levam assim tanto por irritarem os adversários com a sua qualidade.

BRUNO FERNANDES

Às vezes dá-me ideia que o Bruno Fernandes não consegue ir para casa descansado se não for o homem do jogo. Faz-lhe espécie, diria a minha avó. E não é por egoísmo ou sede de protagonismo, atenção, é mesmo por altruísmo, pela equipa, pelo Sporting.

BAS DOST

Falhou 1, falhou 2, não falha 3. Agora, tenho de admitir mesmo que pareça, mas eu preocupo-me mais com a saúde dele do que com a de quase todos os meus amigos. Quando o vejo no chão – e ele que não é nada de fitas – agarrado ao ombro ou às costas começo logo aos berros: Ó VARANDAS, ENTRA EM CAMPO, VAI AJUDAR O HOMEM! O Pai Dost não se pode lesionar nunca mais.

DIABY

Correu muito, mas com pouca eficácia. Fez-me lembrar aquelas pessoas que correm muito para apanhar o autocarro que já está a partir mas levam inevitavelmente com as portas a fecharem-se na sua cara.

JEFFERSON

Nem me atrevo a dizer nada de mal sobre ele. Até podia ter entrado pessimamente no jogo que eu não seria capaz, depois daquela entrada de pitons no joelho que sofreu (mesmo que só acertando de raspão). Agora, se aquilo não é vermelho, então se calhar é melhor começarem antes a usar caneleiras de guarda-redes de hóquei.

JOVANE

Não sei se repararam, acho que só vendo em super slow motion. Mas experimentem. Quando o Jovane está a receber a bola do Bruno Fernandes, ele pára, ele faz o mundo parar à volta dele, e diz: “Meus putos, curtam isto. Vou só meter a bola num arco mais perfeito que a curva do sorriso da Mona Lisa, para podermos arrumar com o jogo e irmos para casa com esta vitória tão importante”.

BRUNO CÉSAR

Um pouco de força bruta para segurar a vitória.

FÁBIO COENTRÃO

Não jogou por nós, mas é um de nós. Tenho que lhe deixar aqui um abraço (e o secreto desejo que ainda possa voltar ao Sporting em janeiro).