Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Faro

Pai Dost que estás no Sporting, santificados sejam os teus pés. Venha a nós o teu talento (uma oração, por Diogo Faro)

Depois do encontro com o Nacional, Diogo Faro deixa uma oração a todos os sportinguistas, para celebrarem o seu goleador-mor. Uma reza que termina assim: "Não perdoai nenhuma baliza adversária, assim como nós não perdoamos quem te tenha ofendido e não nos deixai cair na classificação, e levai-nos ao Marquês de Pombal"

Diogo Faro

PATRICIA DE MELO MOREIRA/Getty

Partilhar

RENAN RIBEIRO

Na primeira parte levou dois golos nos quais não podia ter feito melhor. Na segunda parte fez uma defesa que não podia ter feito melhor. Depois de fazermos o 3-2, o Nacional revoltou-se e quis para o empate. Minutos tensos. Corações a bater rápido. E um salto bem esticadinho do Renan que foi fundamental para a vitória.

BRUNO GASPAR

Bem que, como toda a defesa, andou ali à roda sem saber muito bem o que fazer durante a primeira parte, até porque aqueles Witi e João Camacho não são nada maus jogadores. Lá se recompôs para a segunda parte.

COATES

Entrou no jogo como eu saí hoje de manhã do Lux. A cambalear, meio confuso com a luminosidade e claramente a processar tudo muito lentamente, incluindo aquela parte de pôr um pé à frente do outro consecutivamente para conseguir andar. Saiu do jogo como eu entrei no Lux ontem à noite. Confiante, determinado e vencedor.

MATHIEU

Falhou alguns 78 passes e eu já estava preparado para lhe dedicar aqui um parágrafo só a falar disso, mas depois chegou o minuto correspondente ao número de passes que falhou. Um livre tão bonito quanto importante. Foi como o hastear da bandeira na Revolução Francesa com perfume a liberdade e sabor a vitória.

JEFFERSON

“Estou grato ao que o Sporting fez por mim. Seguramente não vou jogar mais nos três grandes de Portugal e agora posso dizer à boca cheia: o meu clube é o Sporting. Sou adepto do Sporting e quero que o Sporting ganhe. Tenho de estar grato a estes adeptos que no ano passado me receberam de braços abertos.” – Fábio Coentrão

GUDELJ

Há quem dê o peito às balas. Há quem dê o corpo ao manifesto. E há quem dê a cara à chuteira do adversário. Foi o que o Gudelj fez pela equipa. Foi falta, e estava lá o Mathieu para bater.

NANI

Uma primeira parte discreta, ali meio à rabia da boa exibição do Nacional, sem a inspiração do costume. Mas tal como todos os colegas, mudou muito na segunda parte e fez parte da rabia que às tantas demos nós ao Nacional. Já agora, aproveito para tirar o chapéu ao Nacional por fazer algo que as equipas pequenas poucas vezes fazem: foi a Alvalade para ganhar e não para pôr 75 defesas e fazer mais um jogo entediante, como quase todos do nosso campeonato.

BRUNO CÉSAR

Em comum com o Wendel, tem a nacionalidade e pouco mais. A ginga de pés é bastante pior, o estilo de pilosidade facial é muito mais fraco e, talvez o pior de tudo, a vontade é muito menos. Durante o tempo todo em que esteve em campo, pareceu mais preocupado com o que ia comer a seguir no Fogo de Chão do que em recuperar bolas.

BRUNO FERNANDES

Podia destacar os passes que fez, podia destacar os golos que marcou, podia destacar como é tão bonita a maneira como festeja os golos de leão ao peito a gritar com uma raiva feliz, ou como é igualmente bonito quando dedica os golos à filha. Mas vou destacar aquele pormenor que só está ao alcance dos craques. E foi precisamente naquele lance em que não tocou na bola, e a deixou passar por baixo das pernas porque sabia que ao fazê-lo ia isolar o Jovane. Que craque, que craque.

BAS DOST

Pai Dost que estás no Sporting, santificados sejam os teus pés,

Venha a nós o teu talento

Seja ganhar sempre a tua vontade

O golo nosso de cada dia nos dai hoje

Não perdoai nenhuma baliza adversária, assim como nós não perdoamos quem te tenha ofendido,

E não nos deixai cair na classificação, e levai-nos ao Marquês de Pombal.

DIABY

Correu, correu, correu, correu. Correu muito e tentou sempre assistir o Pai Dost. E embora não tenha estado eficaz hoje, de certeza que o cansaço que provocou aos defesas do Nacional acabou por nos ajudar bastante.

MIGUEL LUÍS

Provavelmente, a prova definitiva para o Keizer perceber quem é que tem qualidade para substituir o Wendel enquanto estiver lesionado.

JOVANE CABRAL

Tem a brutidão e força de um jogador de râguebi, e a delicadeza e agilidade de pés de um bailarino. Entrou e rapidamente desfez o Nacional, principalmente naquele passe que lhes rasgou a defesa e isolou o Pai Dost.