Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Faro

Acuña refila com os árbitros com a mesma raiva com que Diogo Faro reagiria se lhe tivessem raptado a família toda e matado a gata

O lateral argentino fez duas assistências, é verdade, mas Diogo Faro maravilha-se com a raiva que ele destila, com o seu "turbilhão de emoções", contra todo e qualquer apito que oiça em campo. Que é o oposto à maturidade com que Miguel Luís, aos 19 anos, executa a sua atividade profissional na idade em que este cronista se "embebedava com sangria tão má que devia ser ilegal"

Diogo Faro

Carlos Rodrigues

Partilhar

Renan

Jogo chato, embora com a felicidade de ganhar. Não teve que fazer praticamente nada e ainda teve de levar dois golos. Um bocado como ir todo entusiasmado para o jantar de amigos com troca de prendas e receber pelo segundo ano consecutivo aquele brinquedo da Tiger que é para jogar golf sentado na sanita. Vai para casa contente, mas aborrecido de certa forma.

Bruno Gaspar

Excelente pormenor, a desviar a bola com a pontinha da bota, e num capricho da física (como gostam de dizer os comentadores embora, no fundo, sejam só leis da física normais e nenhum capricho sobrenatural) bateu na barra e depois no poste, antes de entrar. Pena ter sido na nossa baliza, mas tivesse sido na deles e teria sido um lindo golo. Sendo justo, a verdade é que também salvou um golo do Rio Ave num bom lance do Vinicius.

Coates

Natal, a época do altruísmo por excelência. E o que podia ser mais altruísta do que rematar de propósito ao poste, com a trajectória perfeitamente calculada para, de lá, ir parar direitinha aos pés do Pai Dost, para que este fizesse mais um golo nesta época? Nada. Gesto muito bonito do Coates.

Mathieu

Não sei se também sou eu que agora estou a ser exigente demais, na volta até estou, mas senti falta de um golo de livre. Eu sei, eu sei. O golo do jogo passado foi daqueles golos, lindos e raros. Mas eu habituo-me rápido às coisas boas da vida. Praia, vinho, viagens e golos de livre. Fico à espera do próximo.

Acuña

Ele não se aguenta sem refilar com o árbitro, num qualquer lance banal, com a mesma raiva com que eu reagiria se me tivessem raptado a família toda e morto a minha gata. Ainda assim, no meio do turbilhão de emoções que deve ser aquele cérebro argentino, consegue ter o discernimento para fazer duas assistências. Mais um jogo normal.

Gudelj

Também muito bonito o seu gesto de fingir que se lesionou para dar alguns minutos ao Petrovic. Agora que está cada vez mais sólido no meio-campo, fica-lhe bem a atitude num jogo que estava relativamente controlado.

Miguel Luís

Quando eu tinha 19 anos, nesta semana antes do Natal tinha jantares todos os dias (em boa verdade, quase todas as semanas do ano eram assim). Embebedava-me com sangria tão má que devia ser ilegal, vomitava bifinhos com cogumelos ao final da noite e achava que estava tudo bem porque era só um jovem imaturo. Já o Miguel Luís, com a mesma idade, executa a sua actividade profissional com uma maturidade que eu só devo atingir lá para os 95 (já morto, portanto).

Bruno Fernandes

Se o Pai Natal existisse mesmo, e cumprisse tudo o que eu lhe pedisse, pedia-lhe que o Bruno Fernandes ficasse no Sporting para sempre. Não existindo, espero que o Varandas lhe consiga pôr uma cláusula de rescisão de 50000 milhões de euros, uma frota militar de um país médio e uma cadeia de hamburguerias gourmet.

Diaby

Mais dois golinhos para o miúdo. Tão rápido a ir para a baliza como eu a ir para a mesa quando a avó diz que o peru está pronto. Tão eficaz a meter a bola lá dentro, como eu a comer o máximo possível até ter de pedir ajuda do público para conseguir sair da mesa de consoada.

Jovane

Fez um cruzamento que me fez levantar as mãos ao céu e dizer “Ó Jovane! Que cruzamento é este?”. Foi horrível, passou a 7 metros do Pai Dost. Fez outro cruzamento que me fez levantar as mãos ao céu e dizer “Ó Jovane! Que cruzamento é este?”- Foi lindo, certinho, certinho, na cabeça do Pai Dost.

Bas Dost

É completamente inadmissível falhar aquele golo de baliza aberta. Ali, sozinho, aquela rede toda à sua frente, e escolhe fazer uma espécie de passe para ninguém. Ainda por cima, só tinha marcado dois golos até à altura. Mas isso para ele é como respirar, já nem é de grande destaque.

Petrovic

Não fez nada de muito errado. O que só por si já é um grande feito.

Ristovski

Bons cortes, bons ataques, cada vez mais pronto para voltar à titularidade.

André Pinto

Entrou, atirou-se de trenó que nem uma rena e fez um penálti (foi mesmo penálti? Tenho as minhas dúvidas). É justo, 5-2 era excessivo para o Rio Ave.