Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Faro

O Mangostão +, o velhaco do Casillas, o gato que não morreu e um uruguaio apreciador de cinema indiano e adepto de mikado (por Diogo Faro)

Frente ao FC Porto, Diogo Faro viu ainda aqueles dois minutos de sonho de Petrovic mas também Mathieu a limpar Maregas e Tiquinhos com a tranquilidade de um Rei Sol

Diogo Faro

VI-Images

Partilhar

RENAN RIBEIRO

Aquelas duas defesas de seguida à guarda-redes de futsal foram benéficas para o Sporting na proporção inversa ao desgaste que foram para a minha saúde. O coração foi-me à boca duas vezes em meio segundo e não é preciso ser cardiologista para perceber que isto não faz bem a ninguém. Alguém que traga Mangostão + para recuperar, parece que aquilo faz bem a tudo e de certeza que não é publicidade enganosa.

BRUNO GASPAR

Tem uma tez e semblante muito parecidos com o Brahimi. Por mim, era o Bruno trocar o bigode pelos pés do Brahimi e estávamos nós muito mais bem servidos e continuava igualmente parecidos.

COATES

Seguro, tranquilo, uruguaio, amigo do seu amigo, competente, apreciador de cinema indiano, adepto de mikado. Tudo impecável, incluindo o seu desempenho neste jogo. Mas quando faz aquele corte para os pés do Marega ia-me fazendo chorar mais do que se tivesse visto um gato ser atropelado. E olhem que adoro gatos. Ainda bem que o gato não morreu.

MATHIEU

Se a habitual arrogância francesa é tantas vezes criticada, outras vezes bem que pode ser útil. Soube desde o início que era capaz de limpar qualquer adversaire que lhe aparecesse pela frente, e assim foi superior a tudo e todos. Limpou Maregas e Tiquinhos com a tranquilidade de um Rei Sol sem temer nada nem ninguém.

JEFFERSON

A garra de sempre, a ambição que transpira em todos os jogos, a determinação cega e a habilidade a cruzar para a área. Excelente jogo do Acuña.

GUDELJ

Além da competência a defender e agilizar o jogo no meio-campo, finalmente fez um remate que fez o meu cérebro, por milésimos de segundo, prepara todo o aparelho vocal para gritar golo e os músculos para saltarem do sofá. Aquele velhaco do Casillas (guarda-redes incrível, temos de admitir) estragou-me todo o momento.

WENDEL

Esqueceu-se claramente do samba em casa. A alegria do forró não surgiu, o calor do sertanejo esteve silencioso, e aqueles pés que normalmente são uma linda bossa nova, desta vez não foram mais que uma marcha fúnebre.

BRUNO FERNANDES

Dois apontamentos excelentes. A performance artística a simular um sofrimento atroz na cara quando levou um toque no ombro, e um remate que ia com “selo de golo” (expressão cliché que os comentadores de futebol adoram) e que o Casillas, outra vez, teve a habilidade de defender para minha grande desilusão. De resto, a entrega do costume, mas sem dar em muito mais que isso.

NANI

Houve um lance do nosso capitão que foi o reflexo do jogo de toda a equipa: quando, depois de o FC Porto ter mandado a bola para fora por estar pressionado, fez um lançamento lateral completamente precipitado para os pés deles. A vontade era muita, o discernimento era pouco. Exactamente o que eu sou quando estou todo bêbado e tento ter uma conversa inteligente com alguém.

BAS DOST

O remate mais perigoso que fez foi o corte do Militão que ia sendo auto-golo. Tendo em conta a qualidade deste jogo entre estas duas grandes equipas (viva o futebol português!), haver ao menos um auto-golo já seria motivo para grandes festejos e, quem sabe, feriado nacional.

DIABY

Levou um cabrito do Danilo de maneira irrepreensível. Ficou a olhar para a bola a passar por cima de si com enorme talento visual, e depois o Danilo seguiu a sua vida com a bola e ele, como se exigia, continuou pregado ao relvado.

RISTOVSKI

Excelentes pormenores a perder a bola por passes precipitados, e pouco mais.

RAPHINHA

Não devia ter entrado, pelo menos, 45 minutos mais cedo…?

PETROVIC

Dois minutos de sonho.