Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Faro

O que têm em comum Buno Gaspar e o Prince, Keizer e os Scorpions, Miguel Luís e o vocalista dos D.A.M.A.? (o roast musicado de Diogo Faro)

Embalado pelo Dia dos Namorados, Diogo Faro recuperou referências antigas e outras nem tanto para a análise à equipa do Sporting que foi a jogo - bom, mais ou menos - contra o Villarreal

Diogo Faro

RAFAEL MARCHANTE

Partilhar

Salin

Salvou o segundo golo aos 50 minutos. Depois aproveitou para ir treinando os seus dotes de comunicação. Já a antever a vinda de um próximo treinador e ele ter que ficar, de novo, com o papel de tradutor para os pategos do plantel.

Bruno Gaspar

Um jogo acima da média para o lateral direito, uma vez que se lesionou ainda na primeira parte, permitindo aos adeptos desfrutarem da ausência dele como só um adepto do Sporting consegue desfrutar. Não se sabe quanto mais tempo continuará lesionado, mas espera-se que muito, porque poderia aproveitar para fazer um tributo ao Prince. Na medida em que é muito parecido com ele fisicamente. Isto porque o Prince também era um péssimo lateral direito.

Sebastián Coates

Foi dos mais inconformados do plantel de 4 que entrou em campo. Por volta dos 30 minutos passou a jogar no plano ofensivo tendo subido várias vezes ao meio campo adversário para criar oportunidades de quase-oportunidades de golo. Aos 57 minutos ia fazendo um Paíto após passar lentamente, mas quando digo lentamente quero dizer a passo Internet Explorer, por 324 jogadores e rematar cruzado à baliza. O momento mais alto foi quando assistiu Pedraza logo no início do jogo para o golo dos Amarelos.

André Pinto

Teve um papel fulcral na tabela com Coates para o golo dos Canários e depois ficou curioso com o estado da relva do estádio, com o que diziam os placards, com a precisão com que estavam caiadas as linhas que delimitam a grande e pequena áreas, e até com a própria existência como ser humano. Voltou a interessar-se pelo jogo quando ouviu o apito final.

Marcos Acuña

Eu tenho a certeza que há Rottweilers arraçados de Acuña. Aliás, diz-se por aí que há cientistas a estudar os genes de Acuña para criar um novo exército canino que poderá vir a dominar o mundo, desde que não apanhe ninguém mais rápido na ala esquerda. No lance do golo foi mais comido que uma caixa de chocolates no dia de S.Valentim e acabou por ser expulso aos 76 minutos. Portanto o Sporting continuou a jogar com 4 elementos em campo.

Bruno Fernandes

O médio com mais golos na Europa ficou em branco nesta noite amarela. Não é justo para um rapaz como ele ter de cortar os planos do Dia dos Namorados para ir jogar à bola praticamente sozinho. Ele defendia, ele atacava. Ele batia cantos, ele batia livres. Tudo, tudo sem efeito. Mas para quem decidiu ficar em casa com a sua cara-metade a ver algo que toque o coração, houve mais planos da cara dele desolada do que no Diário da Minha Paixão.

Petrovic

Insiste em apresentar-se de máscara que, presumo, seja para ninguém desconfiar que ele é, de facto, Petrovic. Portanto este misterioso mascarado que jogou algures entre o meio-campo e lugar nenhum fez uma aparição ou duas no jogo para nos lembrar que é sempre importante participar. Gostei mais dele nas Navegantes da Lua, ainda assim.

Miguel Luís

Menos dois aninhos e tinha bem idade para namorar com um vocalista dos D.A.M.A. Foi obrigado a estar em Alvalade num dia em que podia ir para o Main tentar a sua sorte com uma futura mulher de quem se iria divorciar quando fosse jogar para o Mónaco. Em vez disso, esteve em campo a fazer o que eu faço numa discoteca. Ver os outros a mexer-se.

Raphinha

Entrou apagado e durante a primeira parte eu até pensei que ele era um holograma como aquele do Paul Walker. Por volta dos 68 minutos, teve um lance de génio onde faz um nó de escuteiro ao capitão dos Submarinos e cruza exemplarmente para Bas Dost, que não consegue finalizar. Depois ganhou algum ímpeto e ainda mandou uma bola ao ferro. Justificável o suficiente para ir tomar banho, que acabou o jogo mas não acabou a noite.

Jovane

Foi protagonista do único remate enquadrado à baliza na primeira parte. O facto de ter entrado a titular mudou bastante o sistema ofensivo do Sporting porque em vez de termos uma velha glória cansada e com pouca imaginação, tivemos uma jovem promessa encolhida e com o rasgo de um menir. Esteve muito bem a imitar Nani nos últimos jogos, o que parecendo que não, é importantíssimo para manter a coerência numa equipa.

Bas Dost

Há quem diga que este plano táctico é prejudicial ao estilo de jogo de Bas Dost mas eu discordo. Teve um lance de golo e de resto até teve tempo para pagar o IVA que acabava hoje, encomendar sushi na Glovo, arranjar um voo barato para a Holanda e até marcar um implante capilar. Agora que não lhe chegam bolas à cabeça, pode deixar crescer uma permanente à vontadinha. Foi um bom jogo para a vida de Bas Dost.

Ristovski

Entrou após lesão de Bruno Gaspar. Como tem sido apanágio, os laterais do Sporting brilham a não ser laterais. Logo no início da segunda parte faz um Bruno Gasparismo que Salin acaba por salvar. Bruno Gasparismo este que tem feito escola nos laterais do Sporting. Ao que apurei, o César Prates ainda faz umas peladinhas e está Agent Free; se calhar não era má ideia tentar dar-lhe um toque.

Wendel

Entrou para o lugar do jogador que estava mascarado e notou-se logo a diferença. No sentido em que se nota logo a diferença, seja onde for, num sítio onde entre alguém de bigode farto.

Luiz Phellype

Foi a sua estreia na Liga Europa e deu para perceber que Acuña pode ficar descansado porque há alguém no departamento da fruta a representá-lo caso seja necessário.

Marcel Keizer

Os adeptos assobiaram tanto que ele chegou a pensar que os Scorpions estavam a tocar a "Winds of Change" em Alvalade.