Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Faro

Espetadas, bife de atum, museu do CR7 e Kátia Aveiro: a lista de coisas na cabeça de Diaby e nenhuma delas era a baliza (por Diogo Faro)

O humorista Diogo Faro ainda contabilizou os cortes do daltónico Ilori e os péssimos cabeceamentos de Bas Dost: “todos os jogadores do plantel principal do Sporting, dos juniores, dos juvenis, escolinhas, futebol feminino, futsal e até alguns atletas da ginástica rítmica e do ténis de mesa cruzaram bolas para o Bas Dost, mas este preferiu sempre fazer cortes em vez de rematar”.

Diogo Faro

AZIZ KARIMOV

Partilhar

RENAN RIBEIRO
Não sofreu nenhum golo, o que só por si é notícia digna de abertura de noticiários no mundo inteiro, tendo em conta o que tem sido a defesa do Sporting nos últimos tempos. Mas também convém termos em conta que o Marítimo está em 12.º lugar, e não marca um golo em casa há quase tanto séculos quanto o juiz Neto de Moura está atrasado em relação à sociedade normal.

BORJA
Ficámos neste jogo a saber que é dotado de um campo magnético potentíssimo. Pisou o Edgar Costa mais de um metro fora de campo, mas o seu poder atracção é tão forte que ao se afastar do local foi como se tivesse em si um íman invisível. O pobre Edgar Costa, daqueles jogadores que abrilhantam o futebol português com a sua integridade porque nunca fingem dores nem perdem tempo de jogo, foi arrastado por aquela força e em poucos segundos passou de fora de campo – sempre a rebolar – para estar praticamente no meio campo.

RISTOVSKI
O seu lance mais vistoso foi aquele em que foi pisado, e pela forma como abriu a boca pareceu que estava a cantar a famosa ária da Rainha da Noite na ópera de Mozart, a Flauta Mágica. Levantei-me do sofá e aplaudi. Valha-nos a música à falta de futebol.

COATES
Há que admirar a resiliência do Coates. Jogando ao lado do Ilori e estando na Madeira - logo, quase que dá para nadar até ao Uruguai. Aguentou o jogo praticamente todo antes de de abandonar por ter uma consulta às 5 em Montevideo. De destacar também a força monstruosa de que é detentor. Ao empurrar o Charles, num lance que parecia ser só um toquezinho ligeiro, acabou por deixar o guarda-redes com um ombro deslocado, 3 pernas partidas, uma tatuagem na testa e uma cirrose hepática. Pelo menos, pela sua cara de sofrimento e o tempo que teve de ser assistido.

ILORI
Quando há poucas semanas voltou para o Sporting, afirmou à chegada que vinha um homem diferente. Só que dá ideia que veio tão diferente que veio daltónico. Fazer 375 passes directamente para os pés do adversário não pode ser só má qualidade técnica.

GUDELJ
Mais um grande jogo do nosso Chuck Norris da Sérvia, mais 45 minutos à base de rotativos e kamehamehs. Depois saiu para ver se entrava alguém para o lugar dele que tivesse noções mínimas do que fazer com uma bola nos pés.

ACUÑA
Acabou o jogo extremamente desiludido com o seu desempenho, incrédulo com o facto de não ter conseguido ser expulso, ainda mais tendo o Coates conseguido isso sem grandes dificuldades.

WENDEL
É importante que o Keizer o mantenha sempre em campo, mesmo nos jogos em que está a trabalhar tanto quanto um enfermeiro nestas últimas semanas. É certo que está o Geraldes no banco e que quando entrou 20 minutos no outro dia mostrou estar em forma, mas é importante que os treinadores não desistam dos jogadores só porque eles estão claramente fora de forma e até jogam todos enrolados em fita-cola para se aguentarem. O que importa é insistir. Também o pior é que pode acontecer é só empatarmos com uma equipa cujo guarda-redes, ao ser eleito o melhor em campo, a primeira coisa que faz é evocar deus e que se refere a si mesmo na terceira pessoa.

BRUNO FERNANDES
Lindíssimo o espírito de equipa neste Sporting. Se o capitão Bruno Fernandes não marca, então também mais ninguém marca. Há que respeitar hierarquias em prol da união do grupo.

DIABY
Milho frito, espetadas em pau de louro, bife de atum, museu do CR7 e Kátia Aveiro. A lista de coisas madeirenses que passaram pela cabeça do Diaby durante o jogo e que não inclui a baliza do Marítimo.

BAS DOST
Todos os jogadores do plantel principal do Sporting, dos juniores, dos juvenis, escolinhas, futebol feminino, futsal e até alguns atletas da ginástica rítmica e do ténis de mesa cruzaram bolas para o Bas Dost, mas este preferiu sempre fazer cortes em vez de rematar. Punha-se de costas para a baliza do Charles e tentava responder a cada cruzamento com um passe para o Renan.

RAPHINHA
Destoou bastante de quase toda a equipa ao ter entrado a jogar bem e com os olhos na baliza. Podia perfeitamente ter respeitado o que se estava a passar e escusava de fazer os colegas sentirem-se mal.

DOUMBIA
Ainda bem que só entrou na segunda parte, porque só é melhor do que o Gudejl na mesma proporção que o Solar dos Presuntos é melhor que comer no Canelas, aquele restaurante fechado pela ASAE depois de ter aparecido no Pesadelo na Cozinha.

LUIZ PHELLYPE
Mais um jogo em que teve uns enormes 3 minutos e que não conseguiu, surpreendentemente, marcar 4 ou 5 golos como toda a gente estava à espera que fizesse.