Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Faro

Portugal merecia melhor sorte e Bernardo também: fintou 17 sérvios, um primo do Ljubomir e o Jesus que nunca apostou nele (por Diogo Faro)

Portugal empatou com a Sérvia (1-1), na Luz, e Diogo Faro não gostou do que viu, com exceção para a exibição de Bernardo Silva

Diogo Faro

Gualter Fatia

Partilhar

RUI PATRÍCIO

Por momentos, esqueceu-se de como é que os seres humanos se locomovem, e esqueceu-se que ele próprio é um ser humano. Vai daí, sai da baliza com a mobilidade de uma coluna de betão armado – daquelas dos parques de estacionamento, que também têm números e tudo – e choca com o sérvio. A verdade é que o sérvio também aproveitou bem para cavar o penálti, como o pessoal que choca contra as colunas dos parques de estacionamento e depois vai processar o parque como se tivesse razão. E o árbitro foi na conversa.

JOÃO CANCELO

Fernando Santos para João Cancelo:

- João, estás em condições para jogar ou cancelo?

- Ó mister, valha-nos Nossa Senhora, a sério que fez esse trocadilho básico para saber se estou bem para jogar?

- Estás ou não? Tens-me parecido cansado nos treinos. Se não estás bem, cancelo, Cancelo.

- O mister nem está mesmo preocupado, pois não? É só para fazer essas gracinhas sem jeito nenhum, não é?

- Ahah! É!

Devia ter cancelado.

RAPHAEL GUERREIRO

Durante uma boa parte do jogo eu não estava a perceber o que se estava a passar com o Raphael, mas aos poucos fui desconfiando. Depois liguei a um amigo meu médico e ele confirmou as minhas suspeitas. O Raphael esteve a jogar doente, com um surto de Bipolaridade no Registo Civil. Do meio-campo para a frente chamava-se Raphael Guerreiro, do meio-campo para trás chamava-se Raphael Anjinho.

PEPE

Esteve igual a si próprio. Sempre vigilante, sempre ríspido, bruto, forte, agressivo, lutador, pujante, violento. E quando a bola estava ao pé dele também.

RÚBEN DIAS

É normal que tenha tremido, que se tenha sentido um pouco menos capaz do que está habituado. Afinal de contas, em cada jogo pelo Benfica em campo costuma ser o mais aguerrido, o mais bruto, o mais violento. Desta vez havia pelo menos 11 sérvios piores que ele. E o Pepe.

WILLIAM CARVALHO

Se entrasse na nova novela da CMTV, estragava todo e qualquer mistério que o enredo pudesse ter, tendo em conta que se chama “Alguém Perdeu”. É que saberíamos sempre quem era o “alguém”. Alguém perdeu a bola, quem foi? O William. Alguém perdeu uma grande oportunidade de golo, quem foi? O William. Alguém perdeu outra vez a bola, quem foi? Vocês sabem quem foi, mas de qualquer forma não percam o próximo episódio.

DANILO

O golo foi incrível, foi lindo, foi o que deve ser sempre o futebol. Certo, estamos todos de acordo nisso. Mas nada justifica que um dos comentadores tenha passado o resto do jogo a dizer “desde o golo, sempre que o Danilo se aproxima da área da Sérvia há um BRUAH no estádio”. E disse BRUAH umas 10 vezes. Eu não sei se não terá até sido por causa disto que o árbitro se fartou de prejudicar Portugal. Se foi, tenho de o compreender e não vou estar aqui fazer mais BRUAH sobre o penálti roubado.

RAFA

A velocidade do Rafa é, de facto, um dos seus melhores atributos. Muitas vezes não sabemos para onde é que ele está a correr, nem ele sabe, mas chega lá sempre muito rápido. Dá ideia que se, de repente, deixasse de ser jogador podia ser estafeta da Uber Eats mas sem ter de usar qualquer meio de transporte além dos pés.

RONALDO

Sempre líder, Ronaldo tentou sempre empurrar a equipa para a frente, tentou motivar colegas e público, mas depois acabou por se lesionar. O público estava todo “ó Ronaldo, anda lá, joga lá só mais um bocadinho, vais ver que não dói nada”, mas ele não acedeu e disse sempre que não. E todos sabemos que “não” é “não”.

BERNARDO SILVA

Teve jogadas em que fintou 17 sérvios, um primo do Ljubomir, o Jorge Jesus que nunca apostou nele, e o Luís Filipe Vieira que estava aos linguados com a Ana Gomes na bancada, mas nem assim conseguiu marcar por um azarinho ou outro. Merecia melhor sorte.

DYEGO SOUZA

Hoje foi a prova cabal de que tem genes puros portugueses (para aqueles que se preocupam com isso ou com as estruturas bacteriológicas das pessoas). Não podia ter sido mais português na incrível capacidade que demonstrou ter na fuga às responsabilidades, durante todo o tempo em que esteve em campo.

PIZZI

A responsabilidade de substituir o melhor do mundo é sempre pesada. Entrar em campo todo depilado, ser filho da maior influencer portuguesa – Nossa Senhora D. Dolores -, fugir aos impostos em Espanha e já ser um herói também em Itália. Não conseguindo, compreensivelmente, estar ao nível disto tudo, podia apenas ter tentado um, ou outro, cruzamento decente.

ANDRÉ SILVA

Tendo em conta o alto rendimento do Dyego Souza, foi extremamente precipitado pelo Fernando Santos tê-lo feito entrar aos 98’ para o seu lugar.

GONÇALO GUEDES

Pela mesma ordem de ideias, ainda bem que só entrou já na segunda parte do prolongamento.