Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Faro

Diogo Faro viu o Sporting a meio de um casamento e notou que Renan é o clássico tio bebâdo, Mathieu o pai da noiva e Bruno é o amor

O Sporting venceu em Chaves, por 3-1, enquanto Diogo se enfrascav... assistia a um casamento, no qual não pôde deixar de observar semelhanças com a sua equipa do coração - isto antes de tentar curtir com a avó da noiva, por culpa de Raphinha

Diogo Faro

MIGUEL A. LOPES

Partilhar

RENAN RIBEIRO

Ontem vi o jogo a meio de um casamento e não pude deixar de reparar como o Renan é aquele clássico tio bêbado. No geral até corre bem, anda ali a ser jovem e divertido, mas depois há sempre um passo em falso que deixa toda a família mal vista. Neste caso, deixou empatada e lá tiveram que ir emendar a mão.

RISTOVSKI

Faz-me lembrar aquela adivinha: “Qual é coisa, qual é ela, que antes de o ser já o era?” A resposta normal é “pescada”. Mas se a adaptarmos ao Ristoskvi na véspera de um dérbi, ou seja, “Qual é coisa, qual é ela, que o Ristovski antes de o ser já o era?”, a resposta é “expulso”, mesmo que das duas vezes em que isso aconteceu ainda está o mundo todo para perceber quais foram as razões.

MATHIEU

Foi o pai da noiva. Sempre preocupado com tudo, sempre a tentar controlar todos os acontecimentos da festa, sempre a ver se os mais novos não fazem asneiras ou, caso a façam, a ter que as resolver. Quem diz os mais novos, diz o Gudelj, claro.

COATES

Foi o irmão da noiva. Mais descontraído que o pai, mas ainda assim sempre vigilante, sem que se dê muito por ele. Até que quando é preciso salva uma madrinha que tropeçou no vestido de cair em cima de uma tia-avó de 97 e de, provavelmente a matar. Pelo menos, foi isso que senti naquele corte ao minuto 27.

BORJA

Foi o padre da cerimónia. Sereno, discreto, sem querer protagonismo, mas ainda assim essencial e sem tremer quando tinha miúdos do Chaves à frente.

GUDELJ

Sei que em muitas destas crónicas que tenho cascado no Gudelj. Aperto com ele, dirijo-lhe apreciações muito pouco abonatórias, chego a lamentar várias vezes que ele seja titular. Mas hoje é diferente, hoje tenho que lhe dar os parabéns- À vigésima sétima jornada – portanto, o campeonato ainda mal começou – acertou pela primeira vez com um remate na baliza. E ganhou canto e tudo. Excelente. Grande Gudelj!

ACUÑA

Cada jogo que não é expulso é uma pequena vitória para ao seu temperamento. E ele até se esforça bastante todos os jogos para ver o cartão vermelho (ainda bem que não acontece mais vezes), ao contrário do Ristovski que não faz praticamente nada de errado. Já vos disse que o Ristosvki é expulso mais facilmente de um jogo, do que um cristão muito conservador se passa por ver roupa para criança unissexo?

WENDEL

Foi o DJ da boda, daqueles DJs que tanto passa Kevinho, como a seguir está a passar Dartacão e logo a seguir uma valsa de Strauss. Portanto, nunca percebemos bem o que é que vai sair dali a seguir. Mas se de vez em quando lá saca uma finta ou um passe de génio, então venha mais uma capirinha que a família vai continuar a dançar.

BRUNO FERNANDES

É a noiva, é o noivo. É a personificação do amor ao futebol, é o salvador da família, é saúde e nunca doença, e só tenho medo do dia em que a morte (um outro clube que o compre, vá) o separe do Sporting.

RAPHINHA

Quando começou o jogo, resolvi dizer a um amigo meu que bebíamos um shot de tequilla de cada vez que o Raphinha fizesse um bom cruzamento, um bom remate ou um bom drible. Felizmente fez um bom jogo, infelizmente acabei o jogo a tentar curtir com a avó da noiva.

LUIZ PHELLYPE

Falhou um cabeceamento no início do jogo que me fez logo suspirar em holandês, mas ainda nem eu tinha acabado o suspiro (foi longo, acho que o maior suspiro da História) e já ele fazia o primeiro golo. Mas também verdade seja dita, se conseguisse falhar aquilo merecia que o futebol se divorciasse dele para sempre.

JOVANE CABRAL

No lance do terceiro golo, desviou o caminho da bola para o Luiz Phellype com a mesma subtileza com que o António Costa desvia as perguntas dos jornalistas sempre que são relacionadas com as relações familiares no governo.

BRUNO GASPAR

Entrou essencialmente para nós nos mentalizarmos já que é com ele na direita que vamos jogar contra o Benfica.