Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Faro

Sabem quando a vossa namorada diz que vai para Erasmus mas não têm de acabar, vai correr tudo bem? É assim que Diogo Faro vê Bruno Fernandes

O Sporting venceu o Naciona (1-0), na 30ª jornada da Liga portuguesa, o que significa que o humorista Diogo Faro está um jogo mais próximo de ser testemunha de algo a que não quer assistir: "Lágrimas nos meus olhos a cada jogo que nos apercebemos da saída inevitável de um dos melhores jogadores que já passaram no Sporting"

diogo faro

NurPhoto

Partilhar

SALIN

Foram excelentes 90 minutos do ponto vista cultural, tendo em conta que teve tempo para ir comer espetadas em folha de louro, visitar o museu do CR7 e benzer-se ao passar à frente da casa da D. Dolores.

MATHIEU

Seguro que nem uma torre da Notre Dame. Mas também convenhamos que o ataque do Nacional, ao nível de labaredas, foi um fósforo.

COATES

Não é que seja conhecido pela sua velocidade de ponta. Não o é pela agilidade de chinês acrobata. Muito menos pela impulsão à Michael Jordan. Mesmo que fosse, pelo trabalho que não teve, também não era hoje que veríamos os seus incríveis talentos.

RISTOVSKI

No geral, jogo bem conseguido. Destaco o seu desportivismo naquele lance em fez de propósito para ser completamente varrido por um adversário, de maneira a mostrar em que situações em que se deve ser expulso. Pena não ter resultado.

ACUÑA

Longuíssimos 6 (seis, em português mais longo) minutos em que ele aguentou sem levar um amarelo. Há gente que aguenta muito menos. E sem levar amarelo também.

DOUMBIA

Sim, eu sei, o Keizer não conseguiu tirar o Gudelj para apostar apenas nele naquela posição, mas o facto de ser titular já nos deu algum alento, de certa forma. Foi como os pais que sabem o "mai novo" toca muito melhor violino, mas também não querem já dizer ao "mai" velho que é melhor sair da orquestra e, por isso, no entretanto, pode ficar a tocar ferrinhos.

GUDELJ

Classe. Confiança. Determinação. Coragem. Felicidade. Esperança.

Foi assim que eu vi a corrida dele para a linha lateral quando foi chamado para ser substituído. E o resto do jogo também não foi mau.

DIABY

Correu sempre muito bem em frente, mas sem grande utilidade. Tal como os empurradores de carrinhos de cesto do Funchal, só que com uma roupa mais bonita.

JOVANE

Tendo em conta o último jogo em que foi titular, estranhou muito o facto de não ser substituído ao fim de 5 minutos. E depois foi o jogo todo numa dúvida existencial entre Sartre e Kant (são filósofos, caso algum jogador de futebol esteja a ler isto) e já não adiantou grande coisa.

BRUNO FERNANDES

Sabem quando a vossa namorada vos diz que vai para Erasmus mas que não têm de acabar, vai correr tudo bem, isso da dificuldade de namorar à distância é mito, que vai voltar mais rápido do que parece? Lágrimas nos meus olhos a cada jogo que nos apercebemos da saída inevitável de um dos melhores jogadores que já passaram no Sporting.

LUIZ PHELLYPE

Cada vez mais matador.

Se calha a ser o Bryan Ruiz a pôr o pé àquela bola, neste momento estava alguém em Miami a estranhar estar uma bola a dar à costa.

MIGUEL LUÍS E FRANCISCO GERALDES

Ao contrário de muita gente que só está bem a dizer mal por dizer, faz imenso sentido que o Keizer não aposte mais neles do que apenas alguns minutos. Têm pouco talento os dois, já estão velhos e não representam minimamente apostas de futuro, e é garantido que o Bruno Fernandes nunca na vida vai sair do Sporting. Ridículo, como ele tivesse lugar em qualquer clube do mundo e nós tivéssemos talentos das nossas escolas em quem apostar.

JEFFERSON

Foi uma substituição estratégica, muito corajosa e ambiciosa por parte do Keizer, que nos permitiu segurar um importantíssimo e prestigiante terceiro lugar.