Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Faro

Renan esticou-se mais do que Joe Berardo e André Ventura rói-se de inveja da subtileza de Raphinha (as notícias, por Diogo Faro)

Ora, aqui vai um apanhado das melhores notícias, perdão, análises aos jogadores do Sporting que acabaram de empatar em Alvalade, contra o Tondela. Recomenda-se a leitura do texto que inclui várias referências atuais, cinematográficas ou apenas... [complete a frase]

Diogo Faro

PATRICIA DE MELO MOREIRA/Getty

Partilhar

RENAN RIBEIRO
Minuto 89 e a defesa que impediu a derrota. E que defesa incrível. Esticou-se mais do que o Berardo no parlamento a dizer que não tem dívidas.

BORJA
Foi notório o que quis fazer em prol da equipa. A semana passada demos 8, décima vitória consecutiva e o moral a subir demasiado com uma final da Taça à porta. Era preciso deixar os colegas alerta e ele, humilde e corajosamente, deu o corpo ao manifesto com aquele passe ridículo logo no início do jogo. Excelente atitude.

MATHIEU
Um pontapé lindíssimo à Karate Kid, ou L' Enfant Karaté, que teria dado um golo de deixar o Mr. Miyagi a rebentar de orgulho. Não só não deu, como ainda deu origem à jogada do golo deles. Como castigo devia ficar a fazer "wash on, wash off" 7 horas por dia até à próxima jornada.

COATES
Não sei se os nossos centrais andaram os dois a ver filmes de kung fu juntos, mas dá ideia que hoje só sabiam rematar em acrobacias à Bruce Lee. E sem resultado. Pior foi no golo deles por ter feito aquele truque do homem estátua.

RISTOVSKI
Não se aguentou. O rapaz do Tondela que que estava a marcar esteve o tempo todo (eu estava mesmo atento e sei ler lábios) a dizer-lhe "ah, tu nem querias estar aqui, tu querias mesmo era estar a ver os Backstreet Boys no Meo Arena!". E ele a encher o saco. Até que o rapaz lhe diz: "Ainda por cima pareces mesmo o Nick". Ristosvki acertou-lhe o passo. Não concordo com a atitude, mas percebo a revolta.

GUDELJ
Voltou àqueles bons jogos aos quais já nos habituou. Dentro do jogo, ele faz um outro jogo consigo próprio que consiste em tentar mandar ao relvado qualquer adversário que veja de pé, e vai somando pontos. Dá-me ideia que ficou no top-3 da pontuação deste seu joguinho.

WENDEL
Estava livre, estava solto, estava feliz. Andava a passear com a bola nos pés como queria, a sambar entre os jogadores do Tondela. Só que depois o Ristovski foi expulso e o passarinho livre teve de começar a defender. Foi como tirar a PlayStation a um miúdo para o obrigar a ir fazer os T.P.C.

ACUÑA
Quando se viu encurralado entre um jogador deles e a linha de fundo, deu aquele chamado "cabrito" e seguiu a vida dele com a bola controlada. Desviou-se do outro com um malabarismo de classe que me fez lembrar a mim próprio a desviar-me de responsabilidades.

BRUNO FERNANDES
Só marcou um golo, não foi o homem do jogo, falhou isolado com o guarda-redes. Se não tivesse feito tudo o resto de bom que fez apesar disso, quase que parecia um jogador normal.

RAPHINHA
Teve dois cruzamentos lindíssimos. Das duas vezes, a bola saiu dos seus pés a desviar-se de todos os defesas com uma subtileza que deixa o André Ventura a morrer de inveja por não o conseguir fazer da mesma maneira quando foge às perguntas nos debates para as Europeias. Merecia que os colegas tivessem tido mais respeito e tivessem marcado nalgum deles.

LUIZ PHELLYPE
Estava a ver o jogo num restaurante e a TV estava sem som. Mas digam-me se estiver enganado: tenho a certeza que algum dos comentadores, naquele cabeceamento muito perigoso do Luiz Phellype, disse "cabeceou de cima para baixo, como mandam as regras". Clássico.

BAS DOST
A atitude do costume, a raça, o querer. Tudo isso que lhe valeu um cartão amarelo. E só depois é que entrou no jogo.

DIABY
Boas (?) corridas para a frente. E outras na diagonal. E foi basicamente isso.

ILORI
Entrou. Fez meio corte. Acabou o jogo.