Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Faro

Diogo Faro está HISTÉRICO, porque isto foi LINDO e ÉPICO e diz obrigada, gracias, merci, dank je e até хвалa aos jogadores do Sporting

Numa crónica em que não fala mal de ninguém, nem mesmo de Gudelj ou de Ilori, Diogo Faro agradece aos jogadores que lhe deram a alegria de vencer uma Taça de Portugal, um ano depois dos acontecimentos de Alcochete

Diogo Faro

PATRICIA DE MELO MOREIRA/Getty

Partilhar

RENAN RIBEIRO

Primeiro que tudo. ESTOU HISTÉRICO! FOI LINDO! FOI ÉPICO! Bem sei que um cronista do Expresso devia ser mais contido e escrever uma crónica mais sóbria. Perdoem-me, não sei se serei capaz. Há um ano o Sporting viveu um dos episódios mais vergonhosos da história do desporto em Portugal. Lidou com tudo o que isso implicou, ergueu-se, ganhou a Taça da Liga e a Taça de Portugal. E isto tem de ser louvado porque é daqui que vem a beleza do desporto e da importância que tem na sociedade.

Bem, e o Renan? Estou capaz de o beijar na boca, ou nas luvas. O outro rapaz rematou, ele esticou-se como se a elasticidade humana fosse só um conceito e não uma realidade, ele não deixou a bola entrar, ele aterrou na relva e soube que a Taça era nossa. Obrigado, Renan.

BRUNO GASPAR

E pouco talentoso e voltou a cometer erros que um jogador do Sporting não pode cometer. Mas além de não estar em condições emocionais de criticar ninguém, a verdade é que se esforçou, dentro das suas capacidades. É bom para o Sporting que tenha sido o teu último jogo no clube, mas fico contente que vá com a medalha de vencedor para casa. Obrigado, Bruno.

MATHIEU

A cada lance em que teve de intervir eu só pensava: "Ele renovou até 2020, ele vai ficar, que descanso, que alívio, que tranquilidade". E quando achamos que, além de ser uma rocha a defender (passe o clichê futebolístico), também é uma rocha emocional, o homem desata a chorar que nem um homem, quando a ideia de ter ganho a Taça se lhe assentou. Merci, Mathieu.

COATES

Corre, corta, limpa, passa, remata, marca. E volta a fazer tudo outra vez. Vezes sem conta. A dedicação dele ao jogo e ao Sporting são muito bonitas, assim como o facto de parecer que tem 7 pulmões. Gracias, Coates.

ACUÑA

Ao longo da época, deve ter feito uns 786 cruzamentos, aproximadamente, muitos deles perfeitos. Mas nenhum foi tão bonito quanto este para o Bas Dost, sendo que ter sido desviado por um jogador do Porto para aterrar a frente Bas só o tornou ainda mais bonito. Gracias, Acuña.

GUDELJ

Eu prometi que não ia dizer mal de nenhum jogador hoje, por isso, vou manter-me firme. Agora, se saber que foi o último jogo dele pelo Sporting me deixa contente? Claro. Se ando há meses com mais saudades do Battaglia do que da minha mãe? Igualmente claro. Mas fez o que tinha a fazer, deu a porrada que tinha a dar. хвалa, Gudelj.

WENDEL

Não é que tenha sido um jogo muito inspirado, tirando um lance ao outro. Mas o que fez durante a época já lhe dá mais do que direito para passar a noite a dançar funk manhoso enquanto morde a medalha. Obrigado, Wendel.

RAPHINHA

Para marcar o penalty, tomou balanço quase até à baliza que não estava a ser usada e isso, à partida, costuma correr mal. Mas aquele rapaz franzino tem mais confiança que do o Sérgio Conceição tem saber perder. Golo. Obrigado, Raphinha.

BRUNO FERNANDES

Já o disse e volto a dizer, é dos melhores jogadores que alguma vez passaram no Sporting, e ninguém merecia tanto ganhar isto como ele. Que época incrível que fez, que jogador de futebol que é. Foi um prazer enorme escrever sobre ele em todos os jogos. Obrigado por hoje, obrigado por tudo, Bruno.

DIABY

Apesar do jogo fraquinho (uau, surpreendente, não é?), teve um lance inacreditável e que foi realmente importante para a nossa vitória. Exactamente o que estão a pensar: a corrida dele para a sair e entrar o Bas Dost. Merci, Diaby.

LUIZ PHELLYPE

Essencialmente, foi ao Jamor para levar na tromba, o que até é de estranhar tendo em conta que o Felipe e o Pepe são jogadores tão civilizados. Nem sequer me lembro de o ter visto rematar. A verdade é que, infelizmente, o mundo precisa de mártires. E o Sporting precisou de um no jogo de hoje. Obrigado, Luiz.

BAS DOST

Pai Dost. Foi assim que o comecei a tratar logo nas primeiras crónicas que aqui escrevi. Acaba a época mais uma vez a sê-lo. Bem, na verdade, se por acaso no futebol fosse falta dominar a bola com o braço, nem teria sido preciso. Mas foi, e ainda bem que lá estava mais uma vez. Dank je, Bas Dost.

ILORI

Dia de não criticar. Dia de não criticar. Dia de não criticar. Dia de não criticar. Dia de não criticar. Vá, obrigado, Tiago.

JEFFERSON

Alto estilo na tribuna com uma boina, isso ninguém lhe tira. Obrigado, Jefferson