Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Faro

Como avaliar jogadores do Sporting na escala de 0 a Diaby

Diogo Faro gostou especialmente do jogo de Diaby contra o Braga, ao ponto de tornar o maliano no ponto distorcido da escala com que avaliou os restantes jogadores do Sporting, como as aulas de francês que Acuña tirou para "gritar sem dar erros", ou como o melhor que Wendel fez na partida foi, num contra-ataque, "não passar a bola a Diaby porque sabia que para isso mais valia rematar logo para fora"

Diogo Faro

PATRICIA DE MELO MOREIRA/Getty

Partilhar

Renan Ribeiro

Excelentes 3 ou 4 defesas, que nos garantiram a vitória, sendo que 6 delas foram a remates do Diaby que não sabe bem o que está a fazer em campo e remata para onde está virado.

Thierry

Foi eficaz, prático, lúcido. Conseguiu controlar bem os lances de perigo no seu lado e, a atacar, ainda teve sempre o discernimento de fintar tanto os jogadores do Braga como o Diaby que às vezes lhe aparecia no caminho a atrapalhar.

Coates

Salvador cantou Amar Pelos Dois. Sebástian cortou pelos dois. Não que o Mathieu não quisesse defender, mas de tanto ter que ajudar lá na frente, também tantas vezes foi o Coates que teve de lhe fazer a dobra, principalmente em contra-ataques do Braga quando o Diaby perdia a bola.

Mathieu

Fez parte de um gang que só assaltava velhinhas e lhes levava o pouco que ainda recebiam da Segurança Social? Atropelou cães bebés e nem sequer teve remorsos? Financiou a criação do Clube de Fãs do David Carreira em França? Estou mesmo intrigado com a dimensão daquilo que o Mathieu terá feito de mal anteriormente, para que agora o karma o faça ter de jogar na mesma equipa na qual o Diaby é titular.

Acuña

Entre bons cortes e bons cruzamentos, teve tempo suficiente para tirar um curso intensivo de francês na Alliance Française de Lisboa para poder gritar com o Diaby sem dar erros. Putain, Diaby! Arrête de faire de la merde!

Doumbia

Fez um bom jogo, e quando foi preciso conseguiu ser agressivo sobre a bola. Não agressivo do tipo Sá Pinto a ser expulso do avião da Ryanair, nem tão pouco como o Diaby reage até numa situação em que lhe estejam a raptar a mãe, mas o suficiente para fazer boas recuperações.

Wendel

Discernimento de jogador maduro no lance do golo, ao qual se juntou aquela ginga de pés que lhe reconhecemos. Mas, para mim, o pormenor mais importante que teve no jogo foi quando conduziu um contra-ataque e, vendo o Diaby isolado, optou por não lhe passar a bola porque sabia que para isso mais valia rematar logo para fora.

Bruno Fernandes

O Bruno Fernandes é tão bom que às vezes dá ideia que está só a jogar futebol de 7 com os amigos, ali num campo em Alfragide, depois do trabalho. Os amigos da sua equipa não são tão bons como ele, mas ele aguenta-se bem e leva a equipa às costas. Também não há problema porque não é para levar muito a sério, o que importa é participar. Ainda por cima tendo em conta que só apareceram 6 e tiveram de pedir ao miúdo que trabalha lá no aluguer do campo, e que por acaso de chama Diaby, para dar uma perninha.

Luiz Phelyppe

Multifacetado. Tanto dá um toquezinho de classe que assiste o Wendel, como faz um remate que passa quase tão longe da baliza como a carreira do Diaby passa do futebol.

Raphinha

Esteve ligeiramente melhor do que o Diaby. E se foi só ligeiramente, abona mesmo muito pouco a favor do Raphinha.

Diaby

Acho que já perceberam a ideia.

Luís Neto

Um bocado triste termos acabado com 3 centrais. Mas, por mim, no próximo jogo pode jogar no lugar do Diaby.

Vietto

Cinco minutos espectaculares.