Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Faro

O Sporting joga tanto à bola, até dá gosto. Mas Coates ia tendo uma recaída no seu problema de auto-golismo

Diogo Faro não ficou, digamos, deliciado com a exibição do Sporting, ao ponto de a sua atenção se ter desviado para o "passear do bigode" de Wendel, as novas apetências de Acuña a falar norueguês ou a "exibição de encher o olho" de Luiz Phellype, que se arrisca a ser reforço em Janeiro para defesa central do Rosenborg

Carlos Rodrigues/Getty

Partilhar

Renan

Renan foi o bastião de uma vitória histórica. O Sporting ganhou em casa ao Rosenborg, pelo incrível resultado de 1-0 e com uma exibição de gala. Por este andar, um dia destes até ao Alverca ganhamos.

Rosier

Estive a ver o jogo com atenção e a única coisa que retive foi um amarelo que levou. Também gostei da barba, está bem aparada. E a camisola cai-lhe bem. Pronto, é isso. Não me consigo lembrar de nada que tenha feito com a bola nos pés.

Coates

Está mais subtil. Creio já ser público que tem estado em tratamento em diversas clínicas para tentar resolver o seu problema de “auto-golismo”. E, de facto, tem vindo a demonstrar algumas melhoras, mas hoje ia tendo uma recaída. Lá está, foi mais subtil, mas tentou rematar contra o Doumbia para ver se assim conseguia marcar discretamente. Falhou, para nosso bem. Coates, o primeiro passo é admitir que tens um problema. Estamos contigo.

Mathieu

Um jogo de classe. Tanto a fazer de Mathieu como de Luiz Phellype, sendo que rematou mais 8 vezes que este.

Acuña

Gostei particularmente de o ver falar norueguês. De certeza que vocês também repararam, até porque não é preciso ser um especialista em leitura labial como eu sou. É que ele passou o jogo todo a dizer aos outros “la p*ta de tu madre, cabr**. Chinga tu madre y por el culo”, que em norueguês quer dizer: “Eu também adoro salmão”.

Doumbia

Funcionou como padrinho do “auto-golismo” do Coates. Aplacou a fragilidade dele e não deixou que voltasse aos auto-golos. Será ele a entregar ao Coates aquela medalha de “Não marco um auto-golo há 1 mês”. Se o Coates lá chegar, claro.

Wendel

Segurança, criatividade, desenvoltura. Foi com estes adjetivos que deu a volta ao campo quando foi substituído. Até esse altura é que foi mais à base de passear o bigode.

Bruno Fernandes

Dizem os comentadores e os cronistas que esteve hoje uns furos abaixo do que costuma estar. E mesmo assim conseguiu ser o melhor do lado do Sporting.

Bolasie

O golo foi horrível, mas o esforço valeu por tudo. Foi um bocado como finalmente ter sexo depois de um ano à míngua. Não importa se era um buraquinho numa parede, o que importa é que aconteceu.

Vietto

Um salto de peixinho à João Pinto para deixar o pessoal com esperança. Falta-lhe um bom bocado para ser tão bom, principalmente na garra e na atitude, e é aí que mais tem que trabalhar. Não ao ponto de dar socos no estômago a árbitros, mas ainda há espaço para progredir.

Luiz Phellype

Uma exibição plena, um jogo de encher um olho, um desempenho de encher o olho. Diz-se por aí até que já se fechou o acordo para em Janeiro ser o reforço para a defesa central do Rosenborg.

Pedro Mendes

Liga Europa: 1 golo e 1 estorvar de adversário que conta praticamente como assistência.

Borja

Excelente entrada em campo para 7 minutos muito intensos de absolutamente nada.

Eduardo

Ainda entrou mais tarde que o Borja, mas foi a tempo de levar uma cotovelada tão forte nas costas que se queixou da cara.