Tribuna Expresso

Perfil

Diogo Faro

Diogo Faro está doido com Bruno Fernandes: 59 golos marcados. 41 assistências. Espero que a estátua ao homem esteja em fase de produção

O humorista português que está no estrangeiro e vê jogos ao lado de quem já conhece Bruno Fernandes, diz que está doido com o médio leonino. Ao ler o que ele escreve sobre o Sporting - PSV (Liga Europa), ninguém duvidará

Diogo Faro

Carlos Rodrigues

Partilhar

MAXIMIANO

Bem sabemos que o Max tem idade é para ir para a Holanda encher a cara de canhões de erva e flutuar em cogumelos (não sei o que é ir à Holanda fazer isso, claro, foi um amigo que me contou), mas quando é para trabalhar é para trabalhar. Os holandeses podiam ter ficado a rematar a noite toda que ali a bola não passava. Um bocado como a moca quando se exagera na quantidade de charros.

ILORI

Com este jogo, o Sporting faz o terceiro jogo consecutivo sem sofrer golos da Europa, e está a um da melhor sequência de sempre. Este feito toma uma dimensão estratosférica quando nos apercebemos que está a acontecer, mesmo com a titularidade de Ilori.

MATHIEU

Para quem nunca mostra (nem sabemos ao certo se tem) emoções, foi bonito o pós-golo. Depois de quase partir a baliza ao rematar e o chão ao cair, levantou-se naquele gesto de Songoku a transformar-se em Super Guerreiro, aos berros de felicidade e congratulação. Mathieu Super Sayen.

ROSIER

Impagável a sua felicidade no golo do Mathieu por ter podido festejar em francês.

ACUÑA

Um rápido e perspicaz lançamento lateral que iniciou a jogada do primeiro golo. Um rasgar de defesa que ganhou o penalty para o quarto. E nisto tudo, nem um único amarelo levou. Está tão bem-educado que qualquer diz ainda começa a dizer “com licença” para passar por eles e “peço imensa desculpa pelo incómodo” depois de fazer mais uma assistência.

DOUMBIA

Tranquilo, sem ter grande trabalho pela frente. Se tivesse o mesmo assessor que a Joacine, com certeza que poderia ser dito que teve um jogo de “cultura de descanso, no sentido intelectual do termo”.

WENDEL

Esteve nas últimas semanas a ler o "Crime e Castigo" do Dostoiévski. Era uma versão resumida, claro. Nem era bem aqueles resumos Europa-América, teve de ser ainda mais resumido. Bom, era só um folhetozinho a dizer “As regras do clube são para cumprir, se não ficas de castigo”. E mesmo assim demorou estas semanas todas a lê-lo.

VIETTO

Andava a ganhar cada vez mais – e justo - protagonismo. Mas hoje resolveu aplicar antes todo o seu talento nas mãos, em vez de nos pés, para aplaudir o jogo inacreditável que o colega e amigo Bruno estava a fazer ao seu lado.

BRUNO FERNANDES

Estou no Myanmar. O costume acontece quando digo que sou português, falam-me sempre do Ronaldo. E eu já respondo um fastidioso “Yes, yes, amazing” sem grande entusiasmo. Mas há dias, depois de Ronaldo, um senhor disse-me “but I really like Bruno Fernandes”. Fiquei doido. Passei do fastio ao histerismo em meio segundo. CLARO QUE CONHEÇO O BRUNO, AMO-O ATÉ. “He plays in Sporting, right?” – “Yes! It’s my team! He’s so brilliant!”.

Enfim, ontem foi só mais um jogo para sustentar toda esta minha excitação longe de Portugal.

Cem golos pelo Sporting, entre 59 marcados e 41 dados a marcar. Espero que a estátua ao homem já esteja em produção.

BOLASIE

Andou um pouco de cabeça no ar, muito provavelmente a pensar “como é que a Tânia Laranjo ainda tem carteira de jornalista?”, mas não deixou nunca de ser útil à equipa.

LUIZ PHELLYPE

Viram? Todo espertalhão, o rapaz. Desmarcou-se com classe e deu apenas um toque ligeiro na bola, mas tão bem colocado que o guarda-redes deles a tentar ainda chegar à bola parecia que se tinha esquecido de como é que se põe um pé à frente do outro para andar.

RAFAEL CAMACHO

Uns minutos para ir brincar com os crescidos.

NETO

O jogo estava ganho e era preciso descansar o Mathieu que o homem faz-nos muita falta e já não vai para novo.

JESÉ

Bem que já está na altura de voltar a marcar um golinho, que isto da vida não é só reggaeton.